Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Agora sou esposa, mãe, completa! Mas continuo minha... Sempre!

02
Fev11
Dizer aos nossos pais que nos vamos casar tem os seus "quês"... E comigo não seria excepção não fosse eu uma filha mais ou menos desejada nos idos de 1986 quando o calor apertava numa tarde de Agosto e nada mais havia para fazer que se esfregarem um no outro e fazerem-me.

Contudo dizer ao meu pai que me vou casar com o genro perfeito e levar a resposta que levei posso afirmar que não estava à espera:

- Se a tua mãe vai, eu não vou... Até porque me disseste há uns anos que nunca te irias casar com ninguém e eu estava descansado. Não me vais pedir uma coisa dessas... (...) Porque não te casas no mesmo dia que eu com a tua madrasta?... Bla bla bla «------- aqui nesta parte eu já estava a pegar num cigarro para acalmar os nervos...

Ora poderia começar aqui a escrever que sou uma filha sem sorte, que o dia é meu e que ele está a ser egoísta, que se me perguntassem aos 5 anos o que eu queria ser quando fosse GRANDE eu diria veterinária e não aquilo que simplesmente sou hoje (ou não sou, ainda não descobri) pelo que dizer-lhe há uns anos que não me iria casar seria o mesmo pois não sei o que se passará daqui a uns anos e que se me quisesse casar no mesmo dia que outras pessoas inscrevia-me nas Noivas de Santo António, mais! Que se ele não for a minha avó é a que sai mais prejudicada pois não poderá ir ao casamento da única neta que tem...

Poderia dizer isto tudo, podia, mas já o disse e foi o meu Jacinto que me aturou a neura.

O cerne da questão é:

Posso mandá-lo à merda?

Ou à merde que é mais bonito por ser em Francês e mostra que aprendi alguma coisa nestes anos...?

Depois de uma longa "conversodiscussão" e sem qualquer contexto lançou que a culpa de eu não ter acabado o curso era da minha mãe pois foi ela que me incentivou a ir para Artes e que Artes não teria "obviamente" saída nenhuma.

(Claro que quero ressalvar aqui de imediato que na Faculdade fui para Letras e que Artes foi no secundário mas há que dar um desconto pois o Alzheimer não afecta só os Alemães...)

Daí que questiono que raio tem o facto de não ter acabado o curso com a minha vontade de casar. Mas hei-de lá chegar um dia...

Ah não... Espera! Queria que eu fosse uma jornalista famosa para ganhar rios de dinheiro para poder pagar dois casamentos! Um para a minha mãe e restantes convidados e outro só para ele...

Boa eu sabia que conseguia!

Pelo que e após alguma reflexão cheguei a uma decisão... Pronto várias...

- Caso-me no registo civil e não vai ninguém.

- Caso-me no registo civil e ele vai e depois no da Igreja vão os restantes. Ou vice-versa...

- Caso-me na Igreja com todo aquilo a que tenho direito (menos entrar a cantar... se isso acontecer internem-me...) e quem quiser ir vai, quem não quiser vê pela televisão - levando a minha avó de qualquer maneira e isso ninguém me pode proibir nem que tenha de a ir buscar a meio da noite.

- Ou caso-me no registo civil e quem quiser vai também e faço um almoço de sandes de presunto e uns Sumol e a coisa fica feita.

O giro da questão... Se ele não for a nenhum, quem me leva ao altar? Ou à mesa do registo?

Ah pronto já percebi... Como em tudo na minha vida, darei mais esse passo sozinha sem a ajuda dos meus pais, neste caso dele.

'Tá bom...

Fico esclarecida.

Assunto arrumado...

Quer dizer... Poderia não aparecer no aniversário dele no próximo Sábado. É que fazer 200km para ver alguém apagar umas velas, dá cá um trabalho... E as prendas? Também deveria poupar o dinheiro delas para fazer dois casamentos ao qual um deles ele quisesse assistir... E ter que o visitar naquela terra hedionda (que é a minha) a qual só me tráz pesadelos... Não será o mesmo que ele rever a minha mãe? É só pôr as coisas assim.

Alguém me dá razão.. Não sei quem...

Os fanáticos do equilibrio entre os famíliares directos, que julgam que pai e mãe serão sempre pai e mãe independentemente da merda que façam, não me dão de certeza mas quero crer que algum filho rebelde possa ler isto e abane a cabeça em modo afirmativo.

Agora sim a acta foi lida e assinada...

------------------------------------------------------------------


Tudo calmo nas Calhoeiras (pelo menos eu acho que sim) tirando o facto de haver imenso trabalho e eu estar a consumir 1 chocolate por dia. No entanto armo-me em pseudo-secretária finesse e ali vai ela como se o chocolate não fosse direitinho às nalgas. E não digo isto por engordar é mesmo por criar ainda mais borbulhas do que aquelas que já tenho e ouvir o meu Jacinto, enquanto se agarra ao meu traseiro, dizer:

That's one small step for man; a giant leap for mankind.

Não fosse ele estar em solo lunar cheio de crateras.

Algumas coisas no trabalho têm corrido sobre rodas. Já me movimento bem melhor lá dentro o que me deixa mais à vontade. Apenas continuo sem perceber nada de calhaus mas isso deve vir com o tempo e se não vier, viesse. Além disso não tenho acesso directo aos calhaus daí que se torne mais difícil saber mais acerca deles. No fundo gostava de aprender mais para não ter de pedir ajuda ao meu colega "Helder" - e quando digo Helder é porque ele me faz lembrar aqueles rapazinhos muito aprumadinhos e religiosos que vêm tocar à nossa campaínha para nos dar um sermão sobre o fim do mundo em cuecas.

O Hélder é um gajo que não se casa com a namorada com quem está há 10 anos porque a vida não está facil. No entanto eu traduzo: Eu não quero ir para um sítio onde tenha que lavar a loiça, arrumar roupa e ter que escolher o que levo calçado para o trabalho no dia seguinte. Quero estar em casa da minha mãe onde ela me corta as unhas dos pés na perfeição.

Sendo que ele só conheceu esta única namorada - não me perguntem porque digo isto mas tenho a certeza que assim o é -, o Hélder é um totó que só Deus sabe. O Hélder faz dezenas de metros para me pedir que eu lhe faça uma chamada telefónica quando ele podia muito bem fazê-la ou ligar-me do telefone dele para o meu e pedir da mesma forma. O Hélder chega ao cúmulo de me interromper ao telefone para eu telefonar a quem ele quer. O Hélder se for preciso faz metade da area total do local onde trabalhamos para me dizer algo. O Hélder é um manfio que não faz um cú. O Hélder só tem mais 3 anos que eu tanto na empresa como de idade. O Hélder só ganha mais 200 euros que eu dado que fui substituir uma baixa porque a moça que está doente ganha mais que ele. O Hélder tira-me canetas, agrafadores e clipes com os quais preciso de trabalhar. O Hélder gosta de programas que já estiveram na berra há anos e já só dão na RTP Memória (a RTP Memória ainda existe?). O Hélder pensa que é meu patrão mas está MUITO enganado porque quando eu souber mais sobre calhaus e não precisar da ajuda dele, mando-o para a c*** da mãe street e de caminho para o c****** também!

Mas tirando isso está tudo sossegado.

Ah... Calma! Recebi um e-mail, em resposta a um que enviei anteriormente explicando uma situação, a frisar o quanto sou profissional.

Já não se mandam cartas de mérito ou recomendação. Agora só e-mails para aguçar o ego medíocre que possuímos no país em vivemos. Mas também não posso falar porque nunca votei na minha vida. E quero continuar a ter orgulho nisso. Não sendo como o Hélder que aspira à presidência da Junta... Enfim... Como diz o meu Jacinto "Que falta de ambição..."

E agora que já é tarde e está frio, vou aventar o meu solo lunar para a cama...


(Imagem da Web)


Cá está! Pobre(o)Tanas envergando uma bandeira nada Portuguesa... Por mim poderíamos ser Espanhóis, Americanos, Sul-Africanos, Japoneses... Desde que ganhasse mais e pudesse estar descansada quanto ao nosso futuro e ao futuro dos meus filhos queria lá bem saber do nosso passado glorioso de Descobertas... Acabou mesmo tudo no nevoeiro. E daí nunca mais saíremos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

21
Jan11

Pensamentos que fluem...

por Pobre(o)Tanas
Resto de semana calma nas Calhoeiras... Tão calma que desespero por emoções para a minha escrita fluir. Claro que não quero que me chateiem mas um abananço naquela empresa dava jeito.

O Eng. Falta-me um Bocadinho Assim, resolveu à sua maneira pedir desculpas por me ter tratado abaixo de bicho do esgoto, pelo que no dia seguinte enquanto eu bebia o café da manhã, perguntou-me se me podia acompanhar também num cafézinho. Não pediu mesmo desculpa mas eu também não estava à espera disso pelo que esta atitude e o facto de não me ter chateado os restantes dias fez com que a minha mira da caçadeira mental mortal que possuo se desviasse dele. Continuando apontada ao Dr. Where's Wally? aguardando um dia em que esteja com a telha e eu tenha dormido mal para a coisa se dar. Mas nem esse me tem dado volta às entranhas com a sua parvoíce, bem pelo contrário, o que me deu uma certa paz de espírito estes dias.

Uma das razões que também me levou a estar sossegadinha estes dias foi a minha dor de coluna. Na terça-feira à noite a dor afectou também as pernas o que me fez deitar mais cedo e nem apetecer fazer o que quer que fosse. Contudo desde ontem que pouco ou nada me tem doído o que quer dizer que estou pronta para outra seja lá o que aí vier de seguida.

Amanhã queria ir ao cabeleireiro arranjar esta trunfa mas não conheço nenhum aqui. Já andei a sondar e a perguntar às minhas colegas mas chateia-me ir a um sítio que não conheço e também estou com preguiça de ir gastar dinheiro ou fazer algo que depois não gosto e fico de neura. Estava para ir fazer umas nuances assim mais para o ruivo uma vez que tenho o cabelo quase que preto - apesar de a minha cor ser castanha escura com reflexo vermelhos - e cortar as pontas ou fazer uma franja mas não me estou a ver de franja nem de cabelo mais curto. Nem me estou a ver dar um balúrdio por meia duzia de nuances. Isso é para a minha mãe e as restantes tolas da idade dela que vão ao "salão" 3 vezes por semana e já nem se lembram da cor natural do cabelo. Que os têm tão entesados que tenho esfregões para os tachos mais suaves. Que se aparece um branco arrancam-no logo.

Eu então estou deserta que me apareçam os brancos. Dar-me-ão mais segurança no que toca ao estatuto da idade. O meu reino pelos 30 anos que nunca mais chegam. E quando chegar aos 30, anseio pelos 40 e por aí a fora. A sabedoria da idade. Isso sim é o mais importante. Não vasculhar a cabeça para eliminar qualquer vestígio do tempo. Dizem que os 20 passam num instante. Eu sinto que tenho 23 há imenso tempo... Ou o tempo passa devagar ou sou eu que sou parva...

Andei com esta música na cabeça ontem e hoje... Bom para falar a verdade também a cantei um bocadinho enquanto arquivava umas papeladas. Preciso de música para me orientar os sentidos e esta é a música da semana.

Adoro-a!


Rádio Macau - Cantigas D'Amor


E a quanta gente que passou na nossa vida não nos apetecia dizer algumas destas coisas acabando as frases com um simples "Querias e eu até podia fazer mas não me apetece!" Daí que vim para longe para não ter que dizer tantas vezes "não te debruces tanto que ainda cais" e o "não sei se me estás a acompanhar". Pelo menos aqui ando ao sabor da maré com o meu Jacinto longe de gente doida! Quem lá ficou que se ature e se amanhe.

E por falar nisso, estávamos a pensar ir a Ibiza este ano com a minha mãe e o Agente Benfica mas da maneira como as coisas por lá andam - mais frias que o frio aqui no Alentejo - penso que iremos adiar a viagem para irmos só os dois ou arranjar um qualquer grupinho simpático que nos possa acompanhar nas noitadas e diárias de praia a esturrar ao sol. E também porque lá para outubro ou novembro temos de começar a pensar em comprar um carro. O nosso bolinhas começa a ficar bom apenas para dar as voltinhas aqui da zona e ir para o trabalho, pois viagens muito longas já não me inspira muita confiança. Ou então para ficar atolado numa das nossas aventuras pela serra com os cães dentro da mala a olhar para nós com ar de "Então, pah! Isso é para amanhã?".



Quando eu e o meu Jacinto temos um dia inteiro por nossa conta e sem nada que nos atrapalhe, as coisas acabam por acontecer. E esta foi uma delas. Perguntámo-nos 'n' de vezes se o carro passaría ou não. Saímos para ver o solo, investigámos e deduzimos que sim. E a prova disso é esta fotografia. As nossas deduções em conjunto dão nisto. Daí que acho que a nossa relação é alimentada de muita confiança entre os dois. Não fosse o facto de confiarmos um no outro e o carro não teria ficado atolado. Não fosse eu dizer "mata" e ele "esfola" e nunca teríamos esta fotografia. Como tantas outras que mostram que as coisas não têm de ser perfeitas para serem especiais... Que um momento menos bom que nos faça perder tempo para fazer o que queremos ou um obstáculo que se atravesse à nossa frente não estraga o que se constrói.

E muita coisa mais diria esta fotografia.

Eu é que tenho que aventar a roupa suja para a máquina e o rabo para o sofá.


E como hoje é dia de sons portugueses neste meu Aventa P'raí deixo mais esta...



Sam The Kid - Viva! - Homenagem a Carlos Paredes

E sim esta música também me toca por a ter ouvido imensamente de cabeça bem cheia de tudo e de nada.

Pensando bem... Acho que o meu cabelo está bem bom...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nunca conseguiremos fazê-lo durante muito tempo. E quem o diz é alguém que o tentou fazer desde sempre. Mas apenas conseguiremos levar a bom porto durante dias, semanas ou escassos meses sendo que meses é uma proeza fantástica e anos então nem falo nisso.

O "Eng.º Falta-me um Bocadinho Assim", hoje pediu-me que lhe ligasse ao Sr Manuel do Alberto para que de seguida lhe passasse a chamada. Liguei e a chamada parou logo ali com a "sinhora/computador" da TêMêNê com voz de mete nojo "O número que marcou não está atribuído". E eu não faço mais nada. Procuro na lista outro número, desta vez fixo, em nome do mesmo Manuel do Alberto. Desta vez foi a "sinhora/computador" da PêTê: "PêTê, o número que marcou não se encontra atribuído...". E eu "Ai esta gaita mas está tudo maluco?". Mais um número do Manuel do Alberto onde à frente dizia em letras mais pequenas "Mário André" e eu cá para comigo "Deve ser familiar ou um funcionário...". Como não queria incomodar o Sr. Eng.º Falta-me um Bocadinho Assim com problemas de não atribuição de números, resolvi ligar ao Sr Mário André para que me divulgasse o número do Manuel do Alberto visto serem da mesma empresa ou primos ou simplesmente amigos, whatever! E marquei o número. Chamou! E o Sr. Mário André atendeu. O blá blá de sempre apresentando-me e pedindo imensas desculpas explicando o que se estava a passar. Um senhor simpático e prestável que me pediu que lhe ligasse daí a 5 minutos pois não tinha o número do Manuel do Alberto com ele. Desliguei e nos entretantos pensando eu ter feito um acto bem feito liguei ao Eng.º Falta-me um Bocadinho Assim e disse-lhe que estava a aguardar resposta do senhor Mário André. Resposta daquele grandessissimo filho de uma pobre coitada cornuda:

- Mas eu não queria que ligasse ao Mário André. O que lhe disse foi para ligar para o Manuel do Alberto

- Mas? Mas?

- Foi ou não foi o que lhe disse?

- Olhe mas não estava atribuído, Eng.º! Tentei...

- Está bem Pobre(o)Tanas.

E desligou!

E eu olha-me este engenheirinho da merda! Eu aqui a tentar ajudá-lo que trabalho tem ele de sobra e não ligar sem qualquer resposta para lhe dar e diz-me isto. Está bem... Para a próxima ele que use o Pai.pt que eu também tentei por aí e não consegui.

Sempre o disse e volto a dizer se quisesse aturar engenheiros vinha para casa e fazia o almoço ao meu Jacinto e remendava-lhe as meias.

Daí que a minha teoria é a mesma.

Se por ventura eu ligasse a dizer que os números do Manuel do Alberto não estavam atribuídos dizia-me para ligar ao Mário André.

Soube mais tarde que o Manuel do Alberto e o Mário André apesar de serem parentes são rivais. Mas a questão que coloco é esta:

E eu sabia disso? Explicassem! Já sabem que tento por todos os meios alcançar os números das pessoas que não consigo contactar. Seja por listas telefónicas, seja pela internet, seja pelas informações ou até mesmo pelo Facebook. Tudo o que pretendo saber de uma pessoa que vá com frequência à net ou possua informações em domínios públicos eu consigo encontrá-la e as pessoas ainda não pararam para pensar que quando me pedem uma coisa vou até aos limites tipo cão de caça. Lamento.

Daí que apanhar o número do Manuel do Alberto na web não seria dificil eu é que não tinha tempo para perder e então liguei ao Mário André o que me pareceu algo inofensivo.

Sinceramente apetecia-me ter uma conversa com ele mas acho que aquela neura deveu-se ao facto da senhora "Falta-me Também a Mim um Bocadinho Assim" ter ligado lá para a firma e ele levar uma descompustura qualquer por não atender o telemóvel. Mas também ter uma mulher como mãe dos meus filhos que masca pastilha ao telefone enquanto balbulcia algo como "Passe-me ao Eng.º Falta-me um Bocadinho Assim..."... E como eu adoro perguntar-lhe "Quem devo anunciar?" só para a ouvir mascar um bocadinho mais depressa de tão impaciente...

As pessoas não têm noção...

Eu tenho vaidade no facto de o meu Jacinto ter um curso superior e ser formado. Formado também como pessoa pois não é um pindérico armado ao pingarelho. É gente boa e simples. Mas Deus nos livre andarmos aí a apregoar aos 7 ventos. Ah sim uso o estatuto dele quando os outros armados me perguntam que faz ele mas daí a andar a acentuar o título dele... Vai uma boa distância. Ou como o outro que fez dois anos do curso de Engenharia Civil e diz que é engenheiro. Se é engenheiro eu sou uma jornalista e pêras! É que só me faltam 2 semestres também...

É isso e o carro que possuímos para estes estatutos todos que temos. O Eng. Jacinto com um bolinhas que faz barulho ao pôr a marcha atrás parece que o carro dá um peido-mestre como se fosse a sua última marcha-atrás na vida e eu, pseudo-jornalista, sempre a pé ou pendurada nele com um piercing entalado no nariz que mais parece um burrié. Ahahahah!

E somos felizes mas tão felizes na nossa bolha, aventando tudo porta-fora quando chegamos a casa...



(Imagem da Web)


Oh aqui pr'a mim a ser puxada para o 5.º dos Infernos cheio de patrões, chefes, dr's e engenheiros que mandam em mim...


Autoria e outros dados (tags, etc)

A minha internet hoje está como o meu cérebro... Lentaaaaaa.


Não gostava mesmo nada de fazer queixinhas sobre o trabalho.

Acho que vou aguentar mais 1 dia. Amanhã talvêz precise. Isto é como tirar um vício do corpinho. O dia de hoje é uma vitória se nos conseguirmos controlar.

E eu consegui!!! Não respondi. No entanto subiram-me aqueles calores espinha acima e espinha abaixo. Mas consegui. E o nózinho na garganta? Mas engoli-o. E os tremeliques oculares? Mas fechei os olhos com muita força e passou. E o voltar a roer as unhas intensamente como há quase 2 anos não o fazia? Pois isso já era pedir controlo a mais...

Queria o meu Jacinto deixar de fumar... Isto é de uma pessoa fumar não 20 ou 30 cigarros por dia mas sim todos de uma vez para ter um qualquer ataque apoplético e ficar-se ali para não sofrer mais.

Não quero crer que uma pessoa por ganhar mais € 4.445,00 que eu ao fim do mês me tenha como alvo a abater. Pois se assim for bem posso fugir com os 550 que me correspondem...

Continuo a questionar se o problema é meu. Pois só pode.

Pondero arranjar ajuda psicológica o mais depressa possível para ultrapassar esta barreira de mau feitio e maneira revolucionária de ser que por mais que a lave e esfregue não descola da minha pele. Eu acho-me um qualquer Ché Guevara do mercado de trabalho vão lá agora mudarem-me isto. E ter um peneirento a martelar-me a moina 8 horas por dia e prender-me por ter cão (por acaso tenho dois) e não ter (aqui contam as gatas), não desce o exófago.

Isto vai lá ou comigo a mandar nos outros o que é dificil pois não tenho jeito nem sequer coragem de mandar fazer, e se pudesse era eu a fazer as limpezas do escritório e não a Dona Salobra, ou então trabalhar só comigo e mais ninguém. Fazendo tudo sozinha. Como não o posso fazer continuo a sonhar com o trabalho em que havendo hierarquia e regras porque gosto de as seguir não há principalmente falta de respeito pelo fundo dos fundos. Pelo lodo dos que ali estão por necessidade.

Se calhar o meu ideal de trabalho seria o Sindicato dos Trabalhadores!



E para quem não queria dar importância ao trabalho, aqui vou eu com um post feito a falar nisso mesmo.

Isto porque preciso de aventar este corpinho que Deus me deu para cima da cama e não acordar novamente às 5 da manhã alagada em suor não me lembrando de que merdelim estaria a sonhar... Vai na volta tinha ganho o euromilhões e estava a correr para o trabalho para esfregar o boletim premiado na cara do Dr. Where's Wally?



Esta frase aqui é só para não acabar este post com o nome dele... Seria algo agoirento!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D