Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Agora sou esposa, mãe, completa! Mas continuo minha... Sempre!

25
Mai15

 

Sempre disse que gostaria de ter uma criança com personalidade. Nunca quis um filho (neste caso filha) nhó-nhó o qual pusesse a um canto e ali ficasse a anhar. 

 

Pois bem, saiu-me o tiro pela culatra. Eu pari uma mistura de suricata (sempre à coca de tudo o que se passa), com macaco (sempre a gozar/mexer em tudo/gritar), chita e polvo (corre e foge-nos de uma maneira que nos custa a apanhar).

 

A miúda não se cala, a miúda não pára quieta. Ela acorda às 6 da manhã e só se deita depois de um dia intenso e mesmo durante a noite não se cala. Ela vive os sonhos, canta, esperneia, ri, chora, levanta-se, olha para todos os lados e cai para trás de braços abertos. 

 

Durante o dia corre ainda mais, grita, cai, levanta-se, bate nos bonecos porque a culpa é deles, come, bebe, faz chichi dentro e fora do penico, faz cocó, desarruma tudo, faz puzzles, tira livros, canta, dança, mexe nos telemóveis para ver os bonecos que quer, desliga a tv, liga a tv, arranca as roupas aos bonecos, mete-os no penico também pois acha que têm necessidades iguais às dela, embála-os, manda-os ao chão, diz-lhe para não chorarem, chama por nós, grita pelos cães, pelos gatos, pelos primos e tios e pelo Pai Natal.

 

 

Pede gomas, "xolatis", queijo da "vaca quiri", "pão com piquega". Pede "monedas" para andar no carro do Noddy. Ela canta o "Olha a bola Manel" na versão heavy-metal no meio do corredor dos congelados quando tudo está em silêncio. Ela pinta a televisão com marcadores pretos e volta e meia alguém tem um bigode extra no telejornal. Ela atira comida dos gatos aos cães e a dos cães come ela. Tira macacos do nariz e oferece a toda a gente. Corre até à casa de banho para nos apanhar nus e perguntar e tentar ver onde temos "o pipi/a piuínha". 

 

Ela ultrapassa obstáculos físicos e mentais, ela conta até 14 e deixa o 8 para o fim porque é teimosa e só diz/faz o que quer, sabes as cores básicas e cuido que mais mês menos mês saiba a diferença entre salmão e rosa velho AHAHAHAHAHAH, sabe que deve dizer "Calma aí!!!" quando tudo discute à sua volta e se vê algum miudo mais pequeno a levar tareia de um maior ela lança um grito de guerra e arreia no malvado. Justa. Muito justa. 

 

Ela troca-nos as voltas com uma pinta bestial e sai das situações da forma mais airosa ou mais dramática. As lágrimas correm em fio e nos entretantos não sabe se há-de chorar se rir. Ela dorme na nossa cama porque a dela é da Kitty (peluche que lá pernoita). Ela odeia praia e parece uma dondoca debaixo do chapéu cheia de creme e trejeitos de pindérica que não pode apanhar um grão de areia.

 

Ela é linda e sabe-o! Adora sapatos, vestidos, malas, pintar unhas e fazer penteados. Chapéus, colares, relógios, lenços. Ela cheira bem, é vaidosa e quando se vê ao espelho beija o reflexo. Tem aquele andar feminino nas pontas dos pés e afasta os caracóis dos olhos enquanto diz "Tu na xabis, mãe!" (Tu não sabes!).

 

Tem 2 anos e meio e quando chegar aos 20 eu já estarei no canto de uma sala do manicómio a arrancar cabelos e o pai mais careca ainda. Porém é a filha que sempre desejámos, a pessoazinha que mais amamos neste mundo e que nos tem dado tanta alegrias e nos preenche tanto.

 

- MÃEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE! Xou um xinóxauro!!!! ARGHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!!!!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

06
Jun13

4 anos juntos :)

por Pobre(o)Tanas

 

A ti meu homem, companheiro de vida para a vida :)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

03
Jan13

1 mês a 3!

por Pobre(o)Tanas

1 mês de Eva!

 

1 mês que sou mãe!

 

1 mês que somos pais!

 

1 mês em que somos três!

 

 

 

 

Tão bom!

 

Tão perfeito!

 

Tão à nossa medida!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

19
Nov12

Estamos a 2 dias da data prevista para o parto e andamos encantados com a ideia de sermos pais.

 

Ele mais nervoso que eu mas mesmo assim vejo nos olhos do meu homem que se sente feliz com a chegada do dia em que conhecerá a filha e assim a vida dele ficar mais preenchida.

 

A minha cabeça anda a mil, apesar de já ter estado mais ansiosa, mas ando super feliz.

 

Tenho 25 anos, estou prestes a ser mãe e com a minha/nossa vida equilibrada sem dificuldade. Um homem que me ama tal como o amo, os meus bichos e uma vida inteira de coisas boas para viver com a minha família. Família contruída por nós.

 

Se até dia 24 a Eva não nascer, será induzido o parto a 28. Sei que se não nascer por ela mesma, que dia 28 terei um dos meus sonhos nos braços e que tudo o que vivi para chegar aqui valeu a pena. Cada lágrima, riso, cada bocadinho que escrevi neste blog durante 4 anos - 1 deles sozinha - fazem parte do que fui e fiz para ter a Eva e o pai dela na minha vida.

 

Olhando para trás, há 4 anos nunca pensaria chegar onde estou e sem um único arranhão visivel. Sarei tudo, tive quem me ajudasse nesse trabalho, mas consegui e aqui estou/estamos. E é desta forma que quero continuar a caminhar. 

 

Quero que a minha filha seja super feliz e siga sempre o seu coração, sem pisar ninguém, mas que o siga. Quero que ame, ria até lhe doer a barriga, viva, seja ela mesma, sempre! 

 

Estaremos cá para o que ela precisar, sempre que precisar e quiser :)

 

E nós, meu companheiro de vida, que venham mais anos iguais a estes que estamos juntos. MUITOS! Até ao fim :)

 

Amo-vos muito!

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

21
Nov11

 

 

Ela - Gostavas de viver num circo?

 

Ele enquanto olha para a televisão - Já lá fui.

 

Ela - Não, pah! Se gostavas de viver num!

 

Ele - Sim... E gostava de ser a mulher barbuda assim muito bonitinha!

 

 

 

Ela olha para ele confusa. Ele, sem tirar os olhos da televisão, diz:

 

- Olha?! Cala-te!

 

 

 

Para perguntas parvas, respostas parvas... Eu já deveria saber...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

Mãe da Pobre(o)Tanas - Se fores para fora o que vais sentir mais falta dela?

 

 

 

 

 

Ele - O facto de limpar tão bem a casa-de-banho...

 

 

 

 


Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

26
Set11

 

 

Ele - Mas diz-me, em dois anos que estamos juntos, alguma vez comecei uma discussão contigo?

 

Ela - Não... Eu porto-me sempre bem!

 

 

 

 

 

 

 

 
 
 
 
 
 

*NERVOSAAAAAAA*

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

15
Set11

 

 

Ela ajeitando-se na cama - Vou dar uma bufa!

 

Ele - Não!!!!!!

 

*pfffff*

 

Ela - Já dei!

 

Ele tapando o nariz - É o "resbeito" que tens...

 

Ela - Eu avisei primeiro! Amo tuuuuuu!!!

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

05
Dez10

 

 

Eles vão no carro. O dia está escuro por causa da chuva. As ruas estão quase desertas. Nisto observam um homem que se arrasta pelo passeio de óculos-escuros resguardando-se da chuva debaixo das varandas.

 

Ele: - Chiça! Está cá um sol! As pessoas não têm noção do rídiculo...

 

Ela concorda e desvia o olhar para uma mulher que corre na direcção oposta.

 

Ela: Então e aquela tão bem "vestidinha"? Já viste? - e solta um risinho abafado.

 

Ele sem desviar o olhar da estrada remata:

 

- Bolas pah! Só sabes dizer mal das pessoas! Deverias ter vergonha!

 

Ela fica agarrada a estas palavras.

 

 

O espirito conjugal tem destas coisas.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

18
Nov08

 Mail enviado hoje de manhã, após conversa de ontem...:

 

 

 

 

Bom dia, A. Sei que depois da conversa de ontem, não ha muito mais a acrescentar ao que foi dito. No entanto, e uma vez que frente a frente por vezes é dificil dizer as coisas, faço-o por esta via que exponho muito melhor aquilo que quero dizer.

 

Como disse, não te vou pedir nada, não vou exigir nada. Também fiquei confusa porque se antes eu exigia e uma vez que não podias dar, tu "fugiste" por não saberes o que queres, agora que tomei a posição de te deixar estar da maneira como sentes e és, sem querer nada em troca, tu mais uma vez não sabes que voltas dar.

 

A pergunta que coloco é "Afinal, como me devo comportar?".

 

Fazer-te perguntas até tudo estar resolvido na tua cabeça e na minha, estar constantemente a exigir que estejas comigo ou pelo menos para teres a certeza do que queres?

 

Ou deixar-te livre para seres tu a querer as coisas, aproveitar os bons momentos, rir, sair e não andar cá com merdas de "epah ele não gosta tanto de mim como eu gosto dele"? Elucida-me porque sinceramente não sei que postura adoptar. Apesar de gostar mais desta segunda, porque me sinto bem melhor com ela e menos pressionada comigo mesma.

 

Expliquei-te ontem que não te amo tal como tu não me amas. Gosto muito de ti, porque és uma pessoa cinco estrelas, és tudo aquilo que talvez eu precisasse na minha vida para ela estar 100% completa. Contudo amar uma pessoa é preciso MUITO tempo, é preciso cuidar das coisas vividas em conjunto, ter aquele companheirismo, saber o que o outro pensa, dizer as coisas numa conversa a dois sem medos, gostar de estar com aquela pessoa mesmo com os defeitos todos, dar peidinhos e rir com isso, ou seja, dividir as batatas fritas.

 

O que poderá haver entre nós é paixão, a face sexual de cada um ao rubro, gostarmos da companhia um do outro, mas uma vez que não há um passado em conjunto (coisa que se cria ao longo do tempo seja numa relação amorosa, seja numa amizade) e temos vidas tão distintas, isso traga medos.

 

Se me perguntares se quero apenas "isto", digo-te já que não, mas se me perguntares porque não salto fora, digo-te também que se tive uma relação de 7 anos também ela começou assim, tirando o facto de ele no inicio passar para outro passeio so para não me falar. Mas criaram-se laços e construiu-se uma coisa em conjunto. Fomos bons companheiros de lutas. E não se andou aí a medir sentimentos. Quando ele achou que me amava disse-o e provou-o nos anos seguintes. Agora medir sentimentos não se mediu. E atenção que não estou a comparar-te a nada. Só estou a expor uma situação. E acredita que eu era bem pior, porque era uma miuda mimada e ele mais velho e coerente que eu.

 

Se quiseres estar sossegado, ver onde poderá dar, sem stresses, sem preocupações, A., epah é na boa porque vou manter o mesmo comportamento que tenho mantido desde que nos vimos desta ultima vez. Se não temos ninguém, se somos grandinhos, se não há coisa que impeça na tua cabeça, é andar para a frente e quando não der, sentamo-nos e conversamos.

 

O amor não se dá assim em meses. Não, meu amor de homem, o amor cresce com o tempo, é moldado com as coisas vividas, com as barreiras ultrapassadas, com amizade. A paixão é efemera, poderá haver uns tempos depois, porque há pessoas que ainda a têm pelos que amam, mas apenas em pequenos rasgos de ilucidez. Amor é cuidar. Podes amar um amigo. Tu já me amas como amiga, porque a forma como me tratas di-lo. E o amor não precisa de ser brusco, amor que leve à morte. Não! Amor pode ser uma coisa pacífica. Ver o por-do-sol, rir com uma gaffe, passear de mãos dadas e dizer "lembras-te quando estivemos aqui?". A paixão é aquilo que se dá quando me vês nua ou com umas calças que me favoreçam o rabo. Mas o meu rabo vai descaír e um dia não serei tão perfeita aos teus olhos, nua, mas quando eu estiver com as maminhas descaídas, com o rabo flácido e se tu ainda aí estiveres para ver, e se gostares de mim da mesma maneira como agora, a isso se chama amor.

 

Se achares que não, que a tua consciencia não to permite, e agradeço o facto de seres sempre sincero, somos amigos e não passa disso. E quando digo "não passa disso", não passa mesmo, porque lá está, à 1.ª foi desconhecimento, à 2.ª foi porque eu quis, mas 3.ª comigo não há... E uma vez amigos não há mais retorno porque também eu quero a minha vida estabilizada e não me sentir "um passa-tempo". Porque se andarmos sempre "a ver se é desta vez" e depois parar, recomeçar, parar e nunca passa daí, vou acabar por me sentir mesmo um joguete.

 

Não vou dar por tempo perdido, e esta capacidade de perdoar as pessoas, de as escutar e aceitar os seus sentimentos sejam eles quais forem, tem sido uma coisa que tenho aprendido a gerir dentro de mim. E digo-te, sinto-me tão leve quando perdoo, quando deixo a pessoa expor o que sente mesmo que não vá de encontro àquilo que sinto, que só isso me faz sentir melhor ainda.

 

Como te disse tambem, ja quase que não tenho medo. E tenho força suficiente para começar sempre do zero...

 

Mais uma vez te dou aqui a oportunidade de escolheres, se sim sem medos, sem medir sentimentos, sem nos preocupar-mos com isso, se não, porque não podes, não deves... Mas digo também que pareço mais forte do que aparento e também sou mais fraca do que aquilo que gostaria de ser...

 

 

 

Beijinhos

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D