Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Agora sou esposa, mãe, completa! Mas continuo minha... Sempre!

02
Dez08

Peixeirada no café!

por Pobre(o)Tanas

 

 

Se há coisa que herdámos, eu e a minha irmã, da nossa excelentíssima mãe ("defunta" coitadinha) - para além do poder de argumentação quando as coisas não correm como queremos e o facto de sabermos escrever e dizer as coisas sem mandar recados por ninguém, foi o acto de descermos dos saltos altos, calçarmos o chinelo e armar uma peixeirada com o mesmo calor e bravura que no prezado mercado do Bulhão. Ou seja, não armar bulha (Bulhão) mas se a há, para os nossos lados, não deixar que o episódio passe em branco...

 

 

Ontem foi o caso... Mais para o lado da minha irmã, claro, porque se sentiu ofendida... No meu foi só mostrar à senhora em questão que enfim sou um tanto ou quanto igual... 

 

 

A esta hora, na minha praceta, somos a família das mal-educadas...  

 

 

 

 

 

Com a neura que estou, bem que precisava de uma guerrita assim como a de ontem...

 

 

 

Mas caros leitores não pensem que ando aí a marcar território com peixeiradas, nada disso... No entanto há dias em que as coisas não batem certo e qualquer coisa assim a modos que se me faça espécie no apêndice e cócegas no umbigo, faz-me querer ver sangue, pernas partidas, costelas esmagadas e cranios a rolar pela rua abaixo...

 

 

"A mãe e a tia são as minhas heroínas!" - Deve ter sido a frase que mais se ouviu ontem, da boca da minha sobrinha, depois da confusão.

 

 

Isto faz-me lembrar um episódio num trabalho onde estive... Tinha uma colega que, enfim coitada pensava que era muita boa e à viva força queria infiltrar-se na família do patrão através do filho deste - que por acaso era o meu namorado na altura - como não podia comigo chateava-me a torto e a direito com merdas sem cabimento nenhum. Certa manhã apanhei-a sozinha e perguntei-lhe se tinha alguma coisa contra mim. (Isto normalmente - o confronto - deve ser feito quando os intervenientes da guerrinha estão sozinhos. Dá um aspecto mais pessoal, mais próximo, o chamado calor humano...)...

 

- Eu??? Eu não! - dizia ela a mexer no cabelo toda muito cocó.

 

- Bom é que me parece falar assim num modo muito arrogante para mim... - dizia-lhe eu a sentir o sangue a percorrer-me o corpo. (Fase número 1: sentir os tremeliques no corpo...)

 

- Eu só falo como você fala para mim.

 

- Não. Eu falo bem para si, ao contrário da C. que está constantemente a implicar comigo. - muito pausadamente e baixinho - Mas vou informá-la de uma coisa, eu aqui dentro sou assim pacífica e aturo tudo mas quando se abre a porta e se sai, sou outra pessoa completamente diferente. Não me queira ver lá fora, porque uma vez na rua, parto-lhe a boca toda! (fase número 2: quando o sangue nos sobe à cabeça e faz ter tiques e espasmos faciais de homem das cavernas com uma moca pronto para a porrada...)

 

- (Silêncio)...

 

Virei costas e segui a minha vidinha de sempre... E não é que nunca mais me chateou?

 

Aqui não houve fase 3 porque não se chegou à agressão em si... Também nunca cheguei a esse ponto. Gosto muito do meu cabelo...

 

 

E pronto de maneira que nunca mais me chateou...

 

 

 

 

Mana, pah, és a minha heroína!

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

15
Jul08

Em noite de trovoada...

por Pobre(o)Tanas

 

A Pobre(o)Tanas pega nas chaves e dirigi-se à Amadora acompanhada dos seus fiéis seguidores de mudanças de sempre: a irmã e o cunhado.

 

 Entram no prédio. Sobem as escadas que dão para o andar que vai dar à porta onde entrará a chave que tanto conseguiu a ter.

 

 A tranca da porta abre-se. Papeis de corte de luz e água caem. Susto! Pequeno gritinho de medo com um passo atrás. Risos.

 

 A casa está completamente às escuras.

 

 Acendem-se isqueiros e às apalpadelas tenta-se encontrar as janelas para entrar o que resta da luz do dia. O cheiro a mofo entranha-se pelas narinas.

 

- Precisa de umas grandes limpezas, sem dúvida.

 

- Não vejo nada...

 

 A casa é alcatifada. Não há fogão. Os móveis são antigos.

 

 Entramos naquilo que julgamos ser a sala. Novamente tudo escuro.

 

- Dizem que ainda está aí o colchão. Deram autorização para o deitarmos fora.

 

 Outra divisão. O quarto...

 

 O isqueiro novamente acende-se. Pouco se vê. O colchão. Cobertores que ainda o enrolam. Vidros de mobilia partidos no chão. Divisão atolhada de moveis inúteis. Uma arca. A escuridão.

 

 - Penso que ele morreu aqui. Ou então não. De qualquer forma há que deitar aqueles cobertores e lençóis fora.

 

 - Ideal seria arrumar tudo o que não interessa nesta divisão. Ficava tipo sala de arrumos.

 

 - Precisa mesmo é de uma limpeza geral. Nada como o meu CIF aqui a trabalhar.

 

 Voltam para a sala onde a luz entra. Sofás roídos pelo tempo e podres da humidade e do mofo.

 

 Sentam-se e acendem um cigarro.

 

 Olham em redor.

 

 - Tens televisão. Mas deve ser a preto e branco.

 

 - De qualquer forma raramente vejo televisão. Trago o portátil...

 

 - Agora é so pedir luz. Logo vemos, na net, o preço para a reporem. E água também faz falta.

 

 - Hum, hum.

 

 - Bem sítio para as gatas já tens.

 

 - Felizmente.

 

 - Sabes - diz virando-se para o outro lado. - Ela diz que a Piggy está meia pelada. Pensamos ter sido da guerra com a Brida.

 

 - Pois está. Coitadinha. Esta semana penso limpar isto e trazê-las o mais depressa possível.

 

 - E o nosso "cabo" não vem ajudar?

 

 - Não sei. Não sei se virá dos Açores no fim de semana. Além disso não preciso da ajuda dele já que a única preocupação que tem são os móveis a carregar.

 

 - Como homem a minha única preocupação é mesmo essa...

 

 Risos

 

 - Bem vamos lá embora. No fim de semana trataremos das limpezas...

 

 As janelas são fechadas novamente. Um som fantasmagórico vem por detrás de nós.

 

 - UHHHHHHHHH...

 

 - Parvo! Deixa-te disso!

 

 - Eh eh!

 

 Saímos. E um suspiro sai de dentro de mim também...

 

 Que mais me espera?

 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

 

 Bom a casa está mesmo mas mesmo mesmo a precisar de limpeza. Não há condições para ser habitada. Nada como uma limpeza a fundo. De qualquer forma cavalo dado não se olha o dente e por isso mesmo estou agradecida pelo canto pelo menos para ter as miúdas e poder estar com elas.

 

 Basicamente nas proximas semanas será arrumar as coisas, uma vez que já pedi luz hoje de manhã. Poderei deixá-las lá e vou poder estar com elas todos os dias. Saio do trabalho e ao fim do dia estarei por lá. Quando estiver tudo limpinho ao meu jeito aí sim mudo-me. Por enquanto é limpar o máximo possível para as instalar com condições. Nem os bichos se iam sentir bem sem limpeza.

 

 Pedi o dia de amanhã e o patron não disse que não. Custou-me um dia de férias mas pronto valores mais altos se levantam.

 

 Já comprei esfregões de aço e ambientadores. Foi o mínimo... Amanhã andarei pelos comboios com um balde uma esfregona até à Amadora mal acorde. Pensando bem tenho lá uma bata que usava nas pinturas. Portanto devo levá-la também...

 

 Bonito será conseguir entrar na casa, abrir as janelas sem me borrar nas cuecas com o medinho...

 

 Oh a quem saí eu tão caguinchas...? Deveria ter medo dos vivos não dos mortos... Nem de fantasmas e coisas do género... Mas como vou com a esfregona e o balde sempre serve de espada e escudo... Talvez leve alhos dentro do bolso...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

14
Jul08

 

Novidade de última hora... Consegui uma casa!!!!

 

 

Oh Deus como estou feliz! Como é que em apenas umas horas saí de um estado depressivo para uma felicidade plena?

 

 Dois anjinhos cairam do céu e um com os seus contactos e outro com a sua dedicação ajudaram-me. A Dr.ª e a minha Irmã.

 

 Estou felicissima. Hoje terei as chaves na mão. Não sei ainda como aconteceu, foi tudo tão rápido mas sei que esta semana já vou buscar as miúdas para ficarem comigo.

 

 E terei o meu canto...

 

 

 Aqui fica um miminho também a todos os que me apoiaram aqui no meu canto e no deles. Sinto-me grata. Tenho uma felicidade tão grande que nem sei que escrever mais...

 

 

 BEM HAJAM TODOS! Acho que nem há palavras! Cada um deu um pouco de si por mim e um pouco do seu blog pelo meu... OBRIGADA!

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

 Isto como a crise afecta todos, aqui no escritório principalmente, decidimos trazer o que houvesse em casa para irmos petiscando sem termos que ir à rua comprar algo ao café.

 

 Basicamente andamos todas nós nas lonas e mesmo em casa, principalmente eu que ando em mudanças, não temos quase nada. Mas ontem lá vasculhei bem o frigorifico e encontrei umas postas de salmão e pescada. Peguei nelas, subi a rua até à casa da minha irmã e fui cozê-las.

 

 Como fui convidada a jantar em casa de uns amigos da minha irmã, trouxe ainda mexilhões que sobraram ontem do jantar.

 

 Conclusão, além de a Dra ter trazido montes de coisas para os pequenos almoços e lanches, ainda temos umas postas de peixe valentes e mexilhões para o nosso almocito de hoje.

 

 Próximo passo, deixar de fumar. Não sei quando mas tem de ser. Para que fique registado em acta: Tenho o mesmo maço há 3 dias!

 

 Pronto confesso, não é que esteja a reduzir, estou mesmo a poupar dinheiro... E pronto confesso que ontem pedi 1 cigarro à minha irmã porque só tinha 3 cigarros para hoje e para amanhã.

 

 

 Bom o que é certo é que me deitei na cama, até disse que aquilo deveria ser mentira, e dormi directo até às 7 e meia da manhã. Hoje já não estou aos tombos, apenas tenho aquela sensação de cabeça cheia de ar... Mas isso já é normal em mim...

 

 

 

 

 

 

 

  

 Não me contenho até à hora de almoço... Acho que vou só espreitar os mexilhões para ver se estão bem...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

23
Jun08

Sinto-me bem melhor...

por Pobre(o)Tanas

 

 

 Esta noite dormi em casa da minha amiga Carol. Eram 22h fomos comer qualquer coisa e por a conversa em dia. Às 23 rumámos à minha casa para ir buscar as "miúdas" e lá fui com elas para que não sentissem tanta diferença na primeira noite. Arrumei os tarecos delas, a casinha de pano, os brinquedos e a comidinha e assim foram.

 

 Não dormi nada porque passaram a noite toda aos saltos em cima da cama. A Piggy teve reações bruscas com a Zappa não sei porque... Ela não gosta muito da casa da Carol, porque foi o primeiro sitio onde ficou e porque a gata da Carol, a Brida, lhe fazia a vidinha num inferno. Daí as reacções.

 

 E pronto lá ficaram...

 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

 Esta semana passo o resto dos caixotes para a casa da minha irmã. E ali ficarei uns tempos.

 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

 

 Enquanto passava na marginal esta manhã vi o pessoal a esticar-se na praia às 7 da matina. Ver a praia soube-me bem. Acalmei e preparei-me para um dia de trabalho de loucos.

 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

 

 É verdade! Houve mais um mini-encontro do nosso Tasco. O Master fez anitos.

 

 Produzi-me e fomos todos para o RS - Beach Klub e lá estivemos de pezucos na areia da praia. Sentámo-nos nos puffs e estivemos a conversar. Depois fomos para a pista ver o Master aka Frigorifico Dançante a mexer as pernas e a abanar o esqueleto.

 

 Tirámos fotos, rimos, divertimo-nos e eu respirei ar puro. Estava a precisar. Mais uma vez fechei os olhos e deixei a musica levar-me para longe... Cheguei a casa às 6 da manhã... 'Tou velha!

 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

 

 

 

 

 Quanto a ti, tenho saudades tuas. Esta semana tem sido dolorosa. Queria-te perto de mim e dizer o quanto significas para mim.

 

 Porque é que tem de ser assim?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D