Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Agora sou esposa, mãe, completa! Mas continuo minha... Sempre!

14
Jan09

Escovas de dentes!

por Pobre(o)Tanas

 

 

 

 

 

 

 

 

Opah, que lindo!

 

 

*suspiro*
Assim pequenino...

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

12
Jan09

A minha foto...

por Pobre(o)Tanas

 

 

 

Um dia dedico-me à fotografia...

 

Esta foto foi tirada à minha pessoa pela minha pessoa. Estava a secar o cabelo e saiu qualquer coisa como isto. Estava triste, debilitada interiormente e precisava de algo que me animasse, me fizesse sentir, sei lá... Sexy, mulher, bonita, amada... E assim o fiz. Depois de umas tantas saiu esta. Não se vê a minha cara, se não disser que sou eu ninguém sabe, mostra-me um tanto ou quanto à vontade comigo mesma, a certeza que tenho da minha sensualidade enquanto mulher.

 

Cheguei ao computador, passei-a e usei esta cor que ninguém sabe definir: se rosa, se roxo... O fundo preto já era mesmo da original e gostei do resultado. Simples, rosa e preto como tanto amo... 

 

Isto já foi há dois anos... Lembrei-me agora de a postar. Entretanto muitas coisas se passaram, mas se estou mal, por vezes vou ver esta fotografia. Anima-me. Um dia vou uma loja e mando-a fazer num poster gigante.

 

Depois disto nunca mais tirei fotos interessantes... A máquina fotográfica não aguentou a pressão! LOOOOL

 

P.s.: Aqui não ha Photoshop... Só mesmo o editor de fotografias do Windows e foi para a por rosa... Ou roxa... Whatever! Não ha Photoshop, pronto!

Autoria e outros dados (tags, etc)

07
Jan09

A minha bolha...

por Pobre(o)Tanas

 

Sinto-me... Estranha... Passiva face ao que me rodeia... Ao mesmo tempo sinto que esta passividade se deve ao facto de que vou ter de ganhar forças para algo que vai surgir nos proximos tempos. Não sei se bom, se mau, mas sinto-o... Pressinto uma força a aproximar-se de mim. É algo mesmo estranho... E vou pensando em mim cada vez mais apesar de...

 

 

Andar estupidamente simpática e prestável... Mas... Ao mesmo tempo enfio-me dentro de mim mesma enquanto faço estas coisas e nem penso em mais nada se não no meu ser. Que estou perto de algo. Que vou ter algo. Sinto-me grande por dentro, apesar da imensidão do que me rodeia, mas sou maior que isso no meu intimo... Quando penso apenas para mim. Que nada mais me importa que eu... Posso dizer que estou "drogada" comigo mesma. Estou com uma "jarda" mental de cada vez que penso apenas em mim.  Fisicamente não estou no meu melhor mas nem é isso que me importa. Sinto-me mental e interiormente bem. Será isto o meu ego? O meu amor-próprio? Se é posso já aqui confidenciar que nunca tinha sentido amor por mim porque isto tem sido tão novo. Tão esquisito...

 

 

Misto de sensações que não vou alimentar escrevendo sobre isso...

 

 

 

*RESPIRA*   (Por vezes esqueço-me disto...)

 

 

 

 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

 

 

Tenho andado louca com esta música lamechas...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sinceramente detesto escrever à noite... À noite é para desenhar... Escrever é de manhã ou à tarde... À noite fico pensativa. Sinto falta de coisas, pessoas... Não de alguém em particular... Talvez... Mas afasto o pensamento... Quero pensar que sinto falta de outra pessoa. Até porque sou tão forte que o consigo. Consegui. Consigo sempre. Que raio é que eu não consigo? Se quiser ir daqui à lua eu posso... Se quiser pegar no mundo com as minhas mãos e mandá-lo morrer longe, também... Se quiser apenas querer, eu posso... Basta apenas pensar... E se pensar que quero ser, estar, ter, poder, conseguir e pensar também, basta fazê-lo... Pensar... E serei tudo isso e muito mais... Basta pensar... é o primeiro passo para o resto...

 

 

E tenho pensado em mim... Dentro da minha bolha... E penso nela, no seu interior... No ar que respiro, no facto de ser confortável por vezes e outras não... E aguardo o dia em que a abra um bocadinho e crie o meu mundo dentro dela com pessoas que mereçam... O resto será fachada...

 

 

Os meus não me serão esquecidos. Não...! Mas, agora sou eu... E quero-me tanto só para mim...

 

 

 

E vou-me que já é bastante tarde...

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

28
Nov08

 

 

Afinal existe mais uma regra...

 

 

 

Regra n.º 2 - Nunca pintar o cabelo sabendo de vespera que vai chover...

 

 

Ou seja, NUNCA trazer um casaco de cor clara (neste caso branco)... Não vá a tinta escorrer - por mais que retiremos o excesso - com a chuva e manchar a roupa...

 

 

 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

 

Descobri também, assim num momento de espasmo mental e brainstorming de coisas que me surgem na cabeça, enquanto fumo, que deveria ter carro pelo menos para as épocas do Outono e Inverno... Mas depois, pensei no Millennium BCP e mudei de ideias... Assim como assim vou emagrecendo andando a pé e usando os joelhos - como tal quando tiver 50 anos já estarei agarrada a um tripé porque os usei vezes demais... - o que é sempre positivo...

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

24
Nov08

Fumo! Muito fumo!

por Pobre(o)Tanas

 

 

Eu não gosto de advogados, mas gosto de fumar.

 

Ver um advogado a fumar é uma visão aterradora para qualquer fumador/a que não seja advogado/a.

 

Mais, pior ainda se disser que já não fuma mas que se esconde atrás das árvores a fazê-lo...

 

Isso sim, é vergonhoso para qualquer fumador/a que se preze...

 

 

 

 

E agora que já expus o pensamento que tive, há 5minutos atrás, enquanto estava a fumar, posso ir descansada à wc descarregar via anal tudo isto que se me revolta os intestinos...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Gosto de mim! O resto é conversa!

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

24
Nov08

Coisas...

por Pobre(o)Tanas

Por momentos, enquanto fumava o cigarro das 11:23, tive uma ideia luminosa!

 

Já sei o que vou oferecer pelo Natal! E para todos!

 

Ou seja, mais um problema resolvido.

 

 

Pitititititititi!

 

 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

 

 

Não contei à bocado, mas vou contar agora.

 

O meu excelentíssimo pai, resolveu pegar na minha avó e na pseudo-namorada, e por fim veio visitar-me. Já não nos víamos há mais de um ano. E agora perguntem-me lá o que foi que falámos...

 

 

Trabalho! Ora nem mais! Depois de um ano a conversa girou em torno do meu trabalho. Ainda rodopiou entre "Tens o tecto da wc a precisar de obras" e "Essa aparelhagem que tens aí não presta para nada comparada com a que deixaste lá em casa.".

 

Estiveram comigo 45 minutos, no máximo. Cinco minutos lá em casa, que foi o tempo de ver os defeitos e pousar o saco das laranjas da quinta, e mais quarenta para beber café e passear pelo jardim de Queluz. A namorada dele não abriu a boca - para não lhe sair trampa - e a minha avó, sorrateiramente, enfiou-me 80euros nos bolsos.

 

Quando vi a velhota, que me criou e foi mais que minha mãe, senti um aperto cá dentro. Não lhe dou mais que dois anos de vida. Está tão magra e fraquinha. Espero que não seja por minha causa pelas saudades e muito menos por causa do trabalho que aqueles dois lhe dão.

 

 

 

Obrigada, pai, era mesmo isso que eu precisava de ouvir. Mas mesmo que a aparelhagem não toque CD's e o tecto da wc me caia em cima da cabeça, enquanto eu estiver a tomar banho, eu não saio dali. Mais, não voltarei nunca para casa.

 

Capiche?

 

 

 

 

Só me pesa a consciência pela minha avó. Mas a vida é mesmo assim. E quando me enterrei só me apontaram o dedo e nem ela saiu em minha defesa com medo do meu pai.

 

Temos pena!

 

 

 

Chamem-me neta ou filha desnaturada, chamem-me ingrata, traidora... Sou eu sei o que passei...

 

 

 

I don't care!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

18
Nov08

 Mail enviado hoje de manhã, após conversa de ontem...:

 

 

 

 

Bom dia, A. Sei que depois da conversa de ontem, não ha muito mais a acrescentar ao que foi dito. No entanto, e uma vez que frente a frente por vezes é dificil dizer as coisas, faço-o por esta via que exponho muito melhor aquilo que quero dizer.

 

Como disse, não te vou pedir nada, não vou exigir nada. Também fiquei confusa porque se antes eu exigia e uma vez que não podias dar, tu "fugiste" por não saberes o que queres, agora que tomei a posição de te deixar estar da maneira como sentes e és, sem querer nada em troca, tu mais uma vez não sabes que voltas dar.

 

A pergunta que coloco é "Afinal, como me devo comportar?".

 

Fazer-te perguntas até tudo estar resolvido na tua cabeça e na minha, estar constantemente a exigir que estejas comigo ou pelo menos para teres a certeza do que queres?

 

Ou deixar-te livre para seres tu a querer as coisas, aproveitar os bons momentos, rir, sair e não andar cá com merdas de "epah ele não gosta tanto de mim como eu gosto dele"? Elucida-me porque sinceramente não sei que postura adoptar. Apesar de gostar mais desta segunda, porque me sinto bem melhor com ela e menos pressionada comigo mesma.

 

Expliquei-te ontem que não te amo tal como tu não me amas. Gosto muito de ti, porque és uma pessoa cinco estrelas, és tudo aquilo que talvez eu precisasse na minha vida para ela estar 100% completa. Contudo amar uma pessoa é preciso MUITO tempo, é preciso cuidar das coisas vividas em conjunto, ter aquele companheirismo, saber o que o outro pensa, dizer as coisas numa conversa a dois sem medos, gostar de estar com aquela pessoa mesmo com os defeitos todos, dar peidinhos e rir com isso, ou seja, dividir as batatas fritas.

 

O que poderá haver entre nós é paixão, a face sexual de cada um ao rubro, gostarmos da companhia um do outro, mas uma vez que não há um passado em conjunto (coisa que se cria ao longo do tempo seja numa relação amorosa, seja numa amizade) e temos vidas tão distintas, isso traga medos.

 

Se me perguntares se quero apenas "isto", digo-te já que não, mas se me perguntares porque não salto fora, digo-te também que se tive uma relação de 7 anos também ela começou assim, tirando o facto de ele no inicio passar para outro passeio so para não me falar. Mas criaram-se laços e construiu-se uma coisa em conjunto. Fomos bons companheiros de lutas. E não se andou aí a medir sentimentos. Quando ele achou que me amava disse-o e provou-o nos anos seguintes. Agora medir sentimentos não se mediu. E atenção que não estou a comparar-te a nada. Só estou a expor uma situação. E acredita que eu era bem pior, porque era uma miuda mimada e ele mais velho e coerente que eu.

 

Se quiseres estar sossegado, ver onde poderá dar, sem stresses, sem preocupações, A., epah é na boa porque vou manter o mesmo comportamento que tenho mantido desde que nos vimos desta ultima vez. Se não temos ninguém, se somos grandinhos, se não há coisa que impeça na tua cabeça, é andar para a frente e quando não der, sentamo-nos e conversamos.

 

O amor não se dá assim em meses. Não, meu amor de homem, o amor cresce com o tempo, é moldado com as coisas vividas, com as barreiras ultrapassadas, com amizade. A paixão é efemera, poderá haver uns tempos depois, porque há pessoas que ainda a têm pelos que amam, mas apenas em pequenos rasgos de ilucidez. Amor é cuidar. Podes amar um amigo. Tu já me amas como amiga, porque a forma como me tratas di-lo. E o amor não precisa de ser brusco, amor que leve à morte. Não! Amor pode ser uma coisa pacífica. Ver o por-do-sol, rir com uma gaffe, passear de mãos dadas e dizer "lembras-te quando estivemos aqui?". A paixão é aquilo que se dá quando me vês nua ou com umas calças que me favoreçam o rabo. Mas o meu rabo vai descaír e um dia não serei tão perfeita aos teus olhos, nua, mas quando eu estiver com as maminhas descaídas, com o rabo flácido e se tu ainda aí estiveres para ver, e se gostares de mim da mesma maneira como agora, a isso se chama amor.

 

Se achares que não, que a tua consciencia não to permite, e agradeço o facto de seres sempre sincero, somos amigos e não passa disso. E quando digo "não passa disso", não passa mesmo, porque lá está, à 1.ª foi desconhecimento, à 2.ª foi porque eu quis, mas 3.ª comigo não há... E uma vez amigos não há mais retorno porque também eu quero a minha vida estabilizada e não me sentir "um passa-tempo". Porque se andarmos sempre "a ver se é desta vez" e depois parar, recomeçar, parar e nunca passa daí, vou acabar por me sentir mesmo um joguete.

 

Não vou dar por tempo perdido, e esta capacidade de perdoar as pessoas, de as escutar e aceitar os seus sentimentos sejam eles quais forem, tem sido uma coisa que tenho aprendido a gerir dentro de mim. E digo-te, sinto-me tão leve quando perdoo, quando deixo a pessoa expor o que sente mesmo que não vá de encontro àquilo que sinto, que só isso me faz sentir melhor ainda.

 

Como te disse tambem, ja quase que não tenho medo. E tenho força suficiente para começar sempre do zero...

 

Mais uma vez te dou aqui a oportunidade de escolheres, se sim sem medos, sem medir sentimentos, sem nos preocupar-mos com isso, se não, porque não podes, não deves... Mas digo também que pareço mais forte do que aparento e também sou mais fraca do que aquilo que gostaria de ser...

 

 

 

Beijinhos

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

30
Out08

 

 

Deus ouviu a minha prece e concedeu-me aquilo que eu pedi hoje de manhã!

 

A Dr.ª (a fixe não a maluca), convidou-me para passar a hora de almoço com ela. E assim fomos as duas, passear e conversar, a pé até ao centro de Benfica.

 

Pagou-me o café. Mas!!! Além do café, andou comigo à chuva!!!!!!!!!!

 

Bom não era bem esta a companhia que eu queria, mas também não especifiquei bem no meu pedido, portanto Deus, de qualquer forma concedeu-me o desejo!

 

E assim apanhámos uma molha daquelas que chegamos tipo pinto! As duas com um lenço na cabeça, eu estilo muçulmana com uma echarpe preta que me tapava a cabeça de tal forma que só se viam os olhos e a Dr.ª com um lenço colorido tão brilhante e garrido que era.

 

E assim andámos nós. Se estivessemos a fugir à polícia éramos detectadas na hora com a nossa figurinha!!! Aliás, nem era preciso um helicoptero!

 

 

 -----» Dr.ª

 

 -----» Pobre(o)Tanas

 

 

Tomem lá algo para recordar porque hoje estou muito simpática!

 

 

 

 

E já agora porque não juntar o bom do antigo com o bestial do novo?

 

 

 

 

 

 

 

 

Deus meu que eu hoje não páro de postar e falar à parva!

 

Mas, não querendo pedir muito, Deus, os próximos desejos (ver o por-do-sol e dormir abraçadinha a alguém), a Dr.ª não porque, apesar de girissima, não faz muito o meu género!

Um moçoilo era assim mais o que eu tinha em mente...

 

Mas só se não der muito trabalho...

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

30
Out08

Outra vez???? Aiiiiiiiiiiiiii

por Pobre(o)Tanas

 

 

 

Sinceramente a conversa de convites para beber café já começa a enjoar...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para quando um convite destes?

 

 

 

Assim a ver o por-do-sol...

 

 

 

ou

 

 

 

 

 

Dormir abraçadinhos até tarde.......

 

 

 

 

Mesmo até passear à chuva...!

 

 

 

 

 

Assim, já velhotes... Com um saco de plástico na cabeça...

 

 

 

 

Isto sim, são convites dignos!

 

 

 

 

 

 

Agora cá cafés!

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

29
Out08

Calma, muito calma ando eu!

por Pobre(o)Tanas
 
 
Ontem, quando cheguei a casa, a D.ª Orlanda fazia anos. Para desgraça dos presentes que se acomodam à mesa dela todos os dias para jantar, tal como eu, que não se lembraram... Eu porque não tinha a certeza do dia e os restantes porque são uns desnaturados!

 

 

Fiquei triste pois claro, porque se fosse comigo nem teria feito jantar para ninguém a menos que se lembrassem!

 

Fim de semana vou tentar recuperar deste trauma de me ter esquecido, comprando-lhe uma prenda!

 

Depois do belo do jantar, do bolo maravilhoso (aiiiii mais uns kg's) e de termos feito uma abóbora para o dia de Halloween para a gaiata levar para a escola (e diz lá se a tia não foi um génio com aquela coisa do molde para a cara da abóbora?), cheguei ao meu lar e enfiei-me na banheira.

 

Tomei daqueles banhos em que esticamos os deducos dos pés até à torneira para apanhar a água ainda mais quente, refastelei-me a ouvir uma musiquinha lamechas, e mergulhei a cabeça na água, deixando so o nariz de fora para respirar, e assim submergi mais um dia de trabalho que no final foi pelo ralo abaixo juntamente com a espuma...

 

Coisas de mulher solteirona, independente, que tem o mundo todo para descobrir mas sem dinheiro para tal...

 

Depois deste mimo (que tem sido quase todos os dias para desgraça do consumo desmesurado de água do planeta), fumei o meu ultimo cigarro do dia e pus-me a contemplar o desenho do A. que entretanto colara no meu Muro das Não Lamentações, algures entre uma frase minha escrita na parede e um desenho tolo que também eu fizera há uns tempos enquanto me baldava a uma aula de Cultura Medieval...

 

E continuo pasmada com este mimo! Está lindo, lindo!!!

 

 

Tenho andado muito calma. Apaziguadora de gente ahhhhhhhhh....chataaaaaaaa!!!

 

 

 

 

Ando tolinha!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D