Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Agora sou esposa, mãe, completa! Mas continuo minha... Sempre!

18
Jun09

Conhecer alguém na Internet

por Pobre(o)Tanas

 

 

Vendo bem nunca fui uma pessoa de loucuras e muito menos de dar passos sem ponderar imensas vezes. No fundo mas mesmo no fundo de mim sempre fui muito pés assentes e de poucos sonhos. Os que tvesse teriam de ser dificeis de conquistar mas sabendo de antemão que os conseguiria alcançar ou então os mais fáceis e simples de concretizar. Talvez seja uma pessoa que vive com o 8 ou 80. Sempre soube olhar para algo e saber previamente se consigo ou não lidar com isso ou simplesmente fazê-lo. Logo não ponho mãos em "bordado" alheio. Como já disse aqui algumas vezes, sei viver em dois mundos distintos. Porque ja vivi com muito e de momento vivo praticamente com uma mão à frente e outra atrás contando constantemente os trocos. No entanto também já expliquei que sou bem mais feliz assim.

 

Com tudo isto quero chegar apenas a uma coisa... A chegada do Luís à minha vida.

 

De momento atingi algo que nunca tinha vivido. Esfrego os olhos, belisco-me e fico pasmada a olhar para ele pensando como alguém assim olhou para mim e me dá tanto. Falo na presença constante, da harmonia existente entre os dois, da cumplicidade que há quando apenas nos conhecemos fisicamente há umas miseras semanas parecendo que sempre vivemos isto assim há imensos anos.

 

Passo a explicar...

 

Eu, Pobre(o)Tanas de nome do meio, apaixonei-me há uns meses pelo Luís. Até aqui tudo bem. Tudo normal. As pessoas apaixonam-se simplesmente. Mas... Nem tudo foi simples de digerir porque apaixonei-me por alguém que nunca tinha visto. Podem imaginar... Sim... "Conheci" o Luís na imensidão da internet numa noite em que nada tinha para fazer e fui até um chat espairecer a mente e mandar as pessoas frustradas as favas e rir-me um bocado. E ali metemos conversa.

 

O Luís estava em trabalho em Luanda e eu em Lisboa armada ao pingarelho numa empresa de gente cocó (um dia destes tiro um par de horas para falar no meu trabalho para matar saudades LooL). 8000 km's de distância e quase 3 meses depois de conversas diárias, que duravam quase o dia todo ou parte dele e da noite, eu fui esperar o Luís ao aeroporto de Lisboa. E ali, ao fim deste tempo todo, eu e o Luís vimo-nos de verdade e não foi preciso mais nada porque a confiança era imensa.

 

Se escondi isto? Posso dizer que apenas 4pessoas sabiam e quase nenhuma delas se conhecia entre si. Se estava louca? Talvez... Se trouxe o Luís para o meu mundo logo nesse dia? Claro! Se estou arrependida? Que morra no preciso momento que pense que sim.

 

Conheci alguém através do ultimo sitio que pensaria que fosse capaz de fazer... Não posso dizer "eu nunca..." porque mais uma vez ficou provado. Não aconselho a ninguém fazer destas coisas em casa sem vigilância (pelo menos de uns 90maços de tabaco que foi isso que devo ter fumado nas horas em que falámos) porque nunca se sabe quem está do outro lado no entanto e se tudo correr bem já terei uma historia para contar aos netos... Apesar de já termos pensado em mil e uma formas de contar às pessoas como nos conhecemos porque ainda existe um certo preconceito...

 

O Luís é o homem que sempre quis ao meu lado e vejo nele a minha verdade. A mesma forma de ver a vida. A mesma garra e força de vontade para lutar. Apenas um pouco mais "mariquinhas" mas espero que me torne tambem eu uma piegas porque já me basta a temperatura negativa que se instalou em mim há uns largos anos. Penso que ele seja aquilo que eu era antes de me tornar neste pedrugulho.

 

De momento não vou fazer planos, vou viver o momento. Vou partilhar as minhas coisas, a minha casa e a minha vida sempre que possa e ele queira.

 

Apesar de andar toda beliscada para saber se não ando a sonhar, tenho consciência que mereço. Chamem-me presunçosa... Mereço e pronto.

 

Se tenho a minha vida preenchida?

 

Tenho...

 

 

Tirando o facto de estar a morrer de saudades da Faixa de Gaza...

 

Neste novo trabalho ganho mais 150 euros mas também trabalho o triplo e ando tipo cão vadio cheio de sarna, de patas atadas e sem forma de se coçar...

 

 

 

 

Vou criar o Movimento B.U.G.A.T. ('Bora Usar Ganga Amanha no Trabalho)...

 

Penso que, de calças de ganga, metade das pessoas ali seria mais simpatica e menos sonsa... Melhor ainda... Menos caganeirosos a quem enfiaram o pepino no traseiro. Aquele que me tentam enfiar todos os dias visto que entro quando o primeiro turno da recepção entra e saio quando o segundo já está a arrumar as canetas... Já pensei partilhar a pasta de dentes com o Guarda Nocturno...

 

Não fosse esta minha capacidade de burra de carga ou aquela que dança sempre com a mais feia e já teria cortado os pulsos. Mas como sempre nunca desisto quando sei que sou capaz... Já disse isto? Já? Olha temos pena!!!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

29
Abr09

Enfim...

por Pobre(o)Tanas

 

 

Não me tem ocorrido nada para escrever num nível brejeiro e terrivelmente caótico no que toca a parvoíce.

 

Deve ser porque entretanto cresci...

 

 

 

Bem me pareceu que sem os minorcas, o meu blog ia morrer LOOOOL

 

 

 

 

Apetece-me escrever sobre a amizade. Em tom de "boca"... Mas como em tudo o que tem acontecido na minha vida, basicamente, so dou importancia ao que quero. O resto são meras merdices que nunca iriam equilibrar nos meus ombros. Até porque não carrego com pesos de problemas que não foram causados por mim. Lamento.

 

Só mais uma coisa: eu sou do genero de pessoa que enche e enche e enche e deixo que façam tudo de mim (como os caes cujas orelhas e cauda as crianças puxam até à exaustão)... Um dia dá-me um vipe e desato a morder a toda agente. Neste caso desligo e viro costas. Se me puxarem outra vez é certo que vou morder... Detesto MENTIRAS!!!

 

Saliento ainda que não tolero que se imponham na minha vida e façam birras que me afectem a parte psicologica, melhor dizendo, pressão... No sentido "Não me mandas sms, não és minha amiga...", uma pinóia! E não me vou defender até porque não me apetece nem vou perder tempo com isso. Porque para ver cenas dessas, ligo a tv e vejo os Morangos com Açucar...

 

 

Tenho dito!

 

 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

 

 

 

Quanto a ti... Tenho tanto a dizer-te e não consigo... Com o crescimento ganhei medos...

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

25
Abr09

Para ti...

por Pobre(o)Tanas

 

 

Tenho duas coisas a dizer-te:

 

 

A primeira porque foi preciso reerguer-me para chegar aqui e ter esta força para acreditar no que sou e no quanto consigo alcançar. Porque lá está, "criei asas e voei"... E só assim, através de um "eu", posso ir em frente através de um "tu" até um "nós"...

 

 

 

 

A segunda porque és tu, simplesmente, e adoro olhar para o que de dentro de ti vem até mim...

 

 

 

 

 

 

 

Chamem-me louca...

 

 

Doi apenas porque quero tanto... Se mais não houver estou cá, comigo mesma, para me levantar vezes e vezes sem conta. Até lá sei o que quero.

 

 

Quero-te a ti... Assim porque sim.

 

 

Porque és tu:)

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

24
Dez08

O meu Natal...

por Pobre(o)Tanas

 

 

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh (okay porque raio ando com esta mania do "ahhhh"...?)

 

 

Hoje escrevo de consciência tranquila porque não há NINGUÉM atrás de mim e posso estar aqui parvar o tempo que quiser...

 

 

Bom sinceramente nem sei que escrever e logo hoje que enfim estou à vontade. Isto é estupido. Parece que só sob pressão é que saem as coisas.

 

Acho que vou receber os subsidios na segunda feiraaaaaaaa!!!

 

"E o que vais fazer com o dinheiro?" - perguntam aqueles mais curiosos...

 

Vou enfiá-lo debaixo do colchão - uma vez que já não dá para acreditar nos bancos, não é? - e dormir uma soneca descansada... Brincadeira. Vou enfiá-lo mesmo no banco e vou "estacionar-me" à porta do estabelecimento a babar-me enquanto leio "Millennium BCP"... Sim porque digo já aqui que vou receber uma pipa de massa! Senhoras e senhores vou receber um balúrdio! Para aí uns 300 euros LOOOOOOOOOOOL E como é uma quantia enoooooorme com ela dá para comprar uma ilha deserta, um avião, uma herdade no Alentejo, um apartamento luxuoso em Nova Iorque, fazer uma viagem pelo mundo, comprar ainda um quilinho de tangerinas e um chocolate twix que bem me apetece hoje... Ah e ainda comprar metade da Sociedade do meu patrão e ser a primeira secretária na historia de secretárias de Benfica a fazê-lo... Muah!

 

Daqui a nada não recebo é peva porque se ele lê isto lixo-me...

 

Será que posso pedir uma quantia por danos morais e por a minha veia da escrita ter-se evaporado? É que sinceramente nota-se o quanto me está a custar escrever. A mente está estupidamente parada. Que nervos...

 

 

Vou tentar dizer mal da Psico pode ser que assim consiga alguma coisa...

 

 

Ontem fui à net (já passava da hora de saída) pesquisar sobre a FIV nos gatos... Ela vem "Ah hoje vai fazer serão?", "Não!", "Então veja isso na net em casa...".

 

 

 

Engoli o meu fel - acabando por fazer uma careta de limão -, peguei na minha mala, rodei nos calcanhares e disse:

 

"Bom Natal, hum?"

 

"Ah... Amanhã não vem não é?"

 

"Não... Bom Natal..."

 

 

 

 

 

Fechei a porta e fiz-lhe um manguito mental...

 

 

 

 

 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

 

 

 

Bom antes de mais quero desejar a todos um FELIZ NATAL com coisas boas, com a família e amigos, com comidinha e uma grande harmonia. Aos que vão passar sozinhos pensem que há aqui alguém que vos dá um abraço grande e um beijinho especial.

 

 

O meu Natal este ano vai ser diferente porque vou estar num sitio em que me sinto plenamente bem. O ano passado foi com a defunta com gente que não conhecia de lado nenhum. Havia prendas em numero de fazer inveja aos filmes que vemos e que eu nunca tinha visto, mas digo-vos, é bem melhor pouco mas com harmonia e acima de tudo verdade, amizade e amor, coisa que não existiu nesse Natal. Este ano vou poder chupar os dedos cheios de azeite, rir, espreguiçar-me, coçar-me, dançar, dizer disparates e dar abraços coisa que não pude há 365 dias atrás porque aquilo era gente do jet-6,5 ou pseudo-ricos... E eles não fazem dessas coisas.

 

Mas são dos que têm de saber quem é que deu a prenda a quem e o quê para saberem mais tardes os preços nas lojas... E só de presenciar a figurinha da minha mãe a tentar descobrir o preço do relógio, que o namorado dela da altura lhe ofereceu, para ver se era mais barato que as prendas que ele me ofereceu a mim e à minha irmã (filhas dela) foi algo triste mas digno de se ver... Por isso este ano não recebe nada que é para não se armar em chica esperta. É que nem um Bom Natal e venha de lá com as teorias dela que somos filhas cheias de rancor que me estou nas tintas... DETESTO NATAL DE RICOS!

 

Amanhã, como já disse, vou passar o dia no meu pai. Será que nos vamos sentar os dois a fumar o nosso cigarro da paz? Espero bem que sim. Temos falado todos os dias e as coisas estão mesmo num bom rumo. Já há os miminhos, os beijinhos e a piadolas ao telefone o que para mim sabe-me bem porque no fundo sempre fomos unha com carne apesar dos feitios...

 

Bom vou deixar aqui uns beijinhos em especial e espero não me esquecer de ninguém:

 

 

- SoFlor! Minha querida Soflor, espero que passes um optimo Natal junto dos teus, com muito amor e carinho. Que continuemos mais Natais a escrever. Obrigada pela tua presença sempre, mesmo que silenciosa, mas que sabe sempre bem:) E não tens de pedir desculpa por essas ausências... Beijinho

 

- Borboleta (Anita)! Minha linda, que o Menino Jesus te traga muita paz e um amor lindo, lindo que te faça feliz, feliz e mais feliz porque mereces! Que haja harmonia desta noite em diante para ti e para os teus! Beijinho

 

- Sarocas! Que o Menino Jesus te traga essa felicidade junto do teu G., dos teus "piquenos" e restante família. Que sejas ainda mais feliz na tua casinha nova e que enfim para o ano cá continuemos secretárias de "malucos". Pelo menos tu que eu dispensava bem LOOOL Beijinho querida!

 

- Maria de Fátima! Ainda não nos conhecemos bem virtualmente mas assim que conseguir a internet espero que criemos laços como aqui já criei com tanta gente que me é tão querida! Desejo-lhe um FELIZ Natal com tudo o que a deixa feliz! Um beijinho muito grande!

 

- Meu Samuel de sempre! Meu querido amigo, as tuas broas já foram escritas mas eu gosto tanto de ti que é obvio que não podia deixar de escrever mais umas linhazinhas! Porque me fazes sentir bem comigo mesma e porque este ano e como bem disseste não foi um ano mau, foi um ano de abertura de caminhos. Quero-te aqui sempre ao meu lado:) Beijinho meu querido amigo! E um abraço apertado!

 

- Joanina! A minha "Tia" emprestada. São tantas virtuais e reais que já tenho uma alcunha em Queluz : "Cadelinha abandonada que eu adoptei" - É o que diz a D.ª Orlanda! Ahahahah Joanina engorda aí o A. fá-lo comer porque bem precisa. Já que as calças lhe andam a cair - diz que é por falta do cinto... Desculpas! Espero que este Natal seja perfeito com tudo o que desejaste... Junto dos teus que tanto amas! E que tal como o Samuel me acompanhes nesta aventura que é crescer como pessoa. Beijinhos! E aquele abraço!

 

- Kai! Que o Pai Natal te traga um novo grilo! LOOOL Um beijinho grande para ti e que passes um dia muito, muito, muito feliz! E pede ao menino Jesus para um dia sermos vizinhos já que o Norte é uma das minhas ideias... LOOOL Beijinho!

 

- Flau, Bug, Master, Cocas, Anusca, todos do Tasco que por aqui passam... Um dia Feliz, Feliz, FELIZZZZZ! E a ver se combinamos aí um novo "ajuntamento"... Gosto de vocês...

 

 

 

 

A todos os que me esqueci - e com esta listinha de pessoas queridas que fiz posso estar a criar um ajuntamento de outras que aqui passam e se sintam revoltadas por falta dos meus beijinhos e abraços - ficam aqui MILHARES DELES (porque dinheiro está escasso até segunda e depois de segunda também porque serei pobre o resto da vida)...

 

Mas uma coisa é certa, pessoas. Sou pobre de algibeira, mas riquissima porque tenho pessoas fantásticas ao meu redor e se continuar com esta vida como a que tenho até ao fim dos meus dias, beijarei os pés de Deus mal o conheça e agradecer-Lhe pelo que tenho...

 

 

E agora lembrei-me da musica da Floribella... "Num tenho nada, mas tenho, tenho tudo... Sou rica em sonhos e pobre, pobre em ouro..." Patati, patatá...

 

 

Tenho pena sim que haja quem não aproveite estes momentos com os amigos e família... Se criem guerrinhas familiares por NADA! Uma coisa aprendi este ano e aproveito para fazer o balanço... A perdoar. Aprendi muito. E como disse o Samuel, não foi um ano negro. Foi um ano de abertura de caminhos para um melhor que se aproxima... E acredito nisso. Penso que cresci, criei o meu espaço, o meu mundo, afastei-me do mal, criei regras, estabeleci contactos, re-criei-me... E acima de tudo busquei a minha felicidade! Aquilo que ganhei de bom, este ano, desejo a todos os que por aqui passam, em dobro. Nomeadamente uns parezitos de chinelos que sei que estão ali à minha espera na árvore... Ahahahahah e é com esta tolice que hoje me despeço...

 

 

BEIJINHOS E UM SANTA NOITE!

 

 

Pobre(o)Tanas

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

23
Out08

Este post vai ser longo...

por Pobre(o)Tanas

Hoje de manhã vi isto:

 

 

 

Outubro 22 2008

 

imagem retirada de uma pesquisa feita no google

 

 

Quero estar só, mas ao mesmo tempo invade-me a vontade de ter alguém a quem dizer amo-te, a quem ligar e dizer que morro de saudades, com quem partilhar tudo.
Só quero ser feliz, mas haverá alguém capaz de me entender? Que me faça ultrapassar o medo que tenho de me envolver de novo?
As mágoas antigas, doem como se fossem recentes, magoa, fere, toldam-me, prendem-me lá com elas não deixam os meus olhos e coração ultrapassar e ficar disposto de novo.
Deixei de acreditar no género masculino, mas também sou suficientemente inteligente para saber que não sou todos iguais. Mas que culpa tenho eu de no meio de um universo de homens decentes só cruzam o meu caminho os que não prestam.
Porque comigo?
Porque não pode ser comigo como é com tantas outras mulheres, que encontraram o homem certo, e amam sem reservas?
Sei que sou uma pessoa complicada até mesmo difícil. Não sei se alguma vez vou encontrar alguém capaz de ver mais além, olhar-me e ver-me a alma.
Não sou má pessoa... Então porque é que é assim?
Será serei capaz de ultrapassar sozinha... não acredito, sou do género de pessoa em que tem que ver para crer, tenho que sentir...
Recordo muitas vezes que no passado nunca me senti amada, mas acreditava que o meu amor era tão GRANDE que dava para os dois, pobre estúpida, ignorante...
Há muito que não recorro a psicólogos ou psiquiatras e medicamentos, mas há dias em que parece que o melhor era marcar um consulta e pedir desses medicamentos.
Passo grande parte das noites acordada até tarde. A minha cabeça parece uma roda-viva os pensamentos e as lembranças, os olhos toldam-se de lágrimas que me deslizam pela cara molhando a almofada.
Engraçado, há muito que não sou capaz de chorar de dia e/ou na presença dos outros, choro sozinha pela surdina da noite.
A cada dia que passa, sinto-me mais vulnerável, sinto-me fraca.
Ás vezes ponho-me a pensar que motivos, tenho eu para me levantar todos os dias?
Não tenho com quem partilhar os meus dias, os meus medos as minhas alegrias...
publicado por Anita §!§ às 21:41
 

O Blog em questão é da Anita/Borboleta. Este blog chamou-me à atenção há umas semanas e desde então que passo por lá e devoro o que a Borboleta escreve. Comento quando sinto que devo comentar e hoje fiz-lhe o comentário mais longo alguma vez fiz a alguém. Porque? Porque esta MULHER conseguiu dizer TUDO aquilo que eu sinto neste momento e não conseguia dizer. Mas TUDO! Quando li identifiquei-me com as suas palavras, a sua dor e com o seu choro em silêncio. Mas de uma forma tão identica que também eu, chorei. Por dentro...

 

 

 

 

À Anita peço desculpa por estar a usar o seu post para o começo do meu, que no qual espero conseguir exprimir o que me vá cá dentro de uma vez por todas, sem rodeios, sem medos.

 

 

Tenho 21 anos, nasci no dia 5 de Maio de 1987 em Vila Franca de Xira, nasci mulher, com o nome de Joana. 

 

Como pessoa vejo-me uma apaixonada pelo que me rodeia, pelo belo, por aquilo que me entra pelos poros da pele e me faz viver. Basicamente vivo à base daquilo que vejo e de emoções que me elevem a mente para um patamar seguro. Em que me sinta segura de mim e do que me rodeia. Não gosto daquilo que não conheço, não me guio pelo desconhecido. Não me movo por terras que não sinta firmes e gosto de sitios confortáveis em que possa contemplar aquilo que me espera para continuar o meu caminho. Sou uma pessoa que não tem medo de trabalhar. Sei, felizmente fazer de tudo um pouco na vida e nas coisas básicas que são necessárias, e trabalho com as armas que tenho e boa disposição para ir em frente mas apenas se tiver quem alinhe comigo. Costumo dizer aos meus amigos que enquanto não perecer nas batalhas da vida que estarei na linha da frente com eles no confronto final. Inventei esta frase num momento em que uma amiga estava desesperada. E as minhas amizades, que são poucas, pautuam-se por isso mesmo: estar lá. Mas! E como digo, comigo há sempre um "mas", preciso que estejam lá para mim também. E aqui entra o meu lado negativo. Sou possessiva. Tudo o que tenho ao meu redor tem de ter a minha mão por cima, para tocar, para sentir, para "ver com as mãos" e "sentir com os olhos" que não trabalhei em vão para aquilo que tenho. Sejam as amizades, o amor, a familia, as coisas fisicas e sentimentais. São minhas, conquistei-as, tenho direitos. Não o faço por mal, faço-o para ter noção do que tenho para viver e ser feliz. Para fazer as contas à minha vida. E saber se vale a pena. E nem toda a pessoa, como ser independente que é, gosta de se sentir pressionado, coberto pela minha mão e afasta-se. E eu sofro. Porque dei tudo de mim e de um momento para o outro, a minha possessividade estraga tudo. Já tentei mudar, já tentei ser aquilo que os outros querem que eu seja, alguém despreocupado. Mas não sou e hoje estou a escrever para me aceitar como sou. Esta minha faceta vai acompanhar-me sempre por mais que eu tente mudar. E como tal terei de viver com ela. Porque não me alimento do "quase" ou do "acho que sim". Para mim existem apenas duas palavras "sim" ou "não" e não "talvez" ou "logo se vê". E quem me quiser tem de me aceitar tal e qual como sou. Dizer-me com frontalidade se é ou não é! Se quer sentir-se amado/a mas com a condição de mal poder respirar com o sufoco do peso da minha presença. Porque eu estou presente. Porque eu existo. E se existo terão de lidar comigo.

Não sou alimento para peixinhos de aquário. E não vivo na corda bamba. Vivo agora por problemas que não foram causados por mim. Porque eu não causo problemas e se os causo admito, vou em frente e pergunto "Quanto são?". Posso demorar anos a decidir-me por algo no dia a dia, na passividade do meu lar, mas se acontece algo inesperado e é para a guerra eu vou. Tem de ser, vou. Estou lá e tenho sangue frio para o que der e vier. Posso ir-me abaixo, posso chorar mas levanto-me, arregalo os olhos, grito feita selvagem e desço colina abaixo de espada em riste qual filme de acção. Busco as forças que pensava não ter e grito.

Onde quero chegar... Quero chegar ao facto de ter sido usada bastantes vezes na minha vida, olhar para mim e perguntar "que fiz para não merecer alguém que me aguente?". É que, e não vou ser humilde, o meu unico defeito é mesmo a possessividade. E ser frontal. Sou e não mando recados por ninguém. Mas tenho sentimentos, ideais, valores e epah desculpem o que vou dizer mas, fodasse onde é que eu erro? Alguém me diz onde erro? Amo as pessoas, amigos, familia, homens, com esta força tudo bem e pode assustar mas... Fogo não há ninguém neste mundo imenso que tenha tomates para me aturar? Que olhe para aquilo que sou? Que me dê valor? Que me veja por dentro, me toque a alma e não as mamas...? Elas até são pequenas. Não têm tamanho nenhum para que têm voces interesse nisso?

Tive duas pessoas que me bateram fundo no âmago e as duas, uma por força de circunstancias da vida que não pude evitar porque a minha possevidade, ele tinha garra para ela porque sempre me mostrou por A + B que estaria lá para comigo, foi embora. A outra porque lhe deve ter apetecido. E assim como veio, foi. Mas só uma delas amei. Foi o meu primeiro homem e alem disso foi mais que familia, foi companheiro, foi irmão, foi pai, foi mãe e crescemos tanto juntos que achei que o meu amor me mataria de tão grande que era. É o homem mais lindo do mundo para mim e se ele hoje me dissesse "agora" eu dizia "já!". Mas deixei o passado para viver o presente. O homem da minha vida ficou la atras e tem o seu lugar cá dentro. Mas o meu coração tem espaço suficiente para caber todas as pessoas que amo e estão comigo. E dou oportunidades para que entrem cá dentro e ninguém as sabe aproveitar. Nem dou conta que algo não está certo, até dou e tento falar mas ninguém fala sobre isso e simplesmente tudo acaba!

Sou uma pessoa que perdoa uma infidelidade (apenas uma vez!) se tiverem a coragem de a admitir. Mas sabem que mais de mim como antes não têm... Podem conquistar-me outra vez mas vou estar tipo espião então nem vale a pena perdoar porque já me conheço. So perdoei os meus pais. Vezes e vezes demais e agora acho que chegou mas isso é outro patamar da minha vida que não consigo ainda resolver. Mas digo que não me troquem as voltas porque posso parecer parva mas não sou burra. E como digo, dormi tempo demasiado sozinha para compreender o que se passa com quem dorme comigo.

Não sou nenhuma santa. Já tive meia duzia de homens na minha cama. E quando digo meia duzia são mesmo seis. E nenhum deles enganei. Mesmo que não gostasse com amor de verdade. Todos eles sabiam e os que não sabiam era porque não queriam saber. Mas quando disse "amo-te" durante a noite, foi de verdade. Quando digo "amo-te" durante o sexo. Não. É apenas uma resposta igual à que me dão mesmo que eu não pergunte nada. Mas sempre pensei que ia ser "dessa vez" que ia parar e assentar arraiais. Ser de alguém e ter alguém meu, meu no sentido que falei antes. Companheiro, estar comigo e ouvir-me... Mas nunca foi. Porque nem me deram oportunidade para isso. Nos nao amamos uma pessoa à primeira vista. Ficamos apaixonados mas amar aprende-se. E aqueles que quis amar não se deixaram amar. Os que queriam ser amados não quis eu porque achei que afinal não tinhamos nada para dar em nada. E como digo, preciso de me sentir segura. Preciso de ver que me dão estabilidade. Que me fazem crescer como pessoa, crescer a minha mente, gosto de pessoas inteligentes que me façam pensar e me ajudem a procurar respostas daquilo que não entendo. Gosto de pessoas que queiram evoluir porque se eu não quisesse tinha continuado na parvalheira de onde vim. Teria ficado em casa e continuaria a ouvir conversas baratas de quem tudo promete e nada tem para dar no sentido da sapiência.

Quando o vento não bate na vela de forma a fazer-me fugir da tempestade, eu salto fora do barco. Não é uma atitude inteligente mas já que o barco vai estar perdido e eu também, então que vá nadando até ver onde vou chegar antes da tempestade me alcançar. Sou das que comeriam carne humana para sobreviver se tivesse que ser. Não mataria ninguém mas faria se a pessoa já estivesse morta. Sou das que daria um tiro na minha própria cabeça antes de tirar a vida a alguém que eu visse que era inocente. Mas sou a primeira a torturar alguem que faça mal aos meus e a mim. Mas principalmente aos meus. Eu tenho as costas largas. E sou das que se vingam. Posso demorar anos mas vingo-me. E nem preciso de actos. Bastam-me palavras. Basta-me olhar para o lado e fazer cara de "eu bem te avisei!"... Mas também dou a mão e estou lá.

Esta sou eu, precisava de dizer isto, precisava de mostrar o meu eu e dizer que choro sozinha também, como a Borboleta. Nunca choraria à frente de um filho da puta que me faça mal. E não vou chorar. Se ele disser "eu vou" eu direi "já devias ter ido". E não tenho medo de amar. Mas tenho consciencia que não amei nos ultimos tempos. Tinha de o dizer. E tenho a dizer que posso nunca ter outra vez amor para mim e para dar mas não me arrependo em nada do que fiz e do que sou. Porque sou assim e quem não tem tomates para mim, corte-os, e ponha-os a fritar em azeite... Que digo-vos, custa menos que aturar-me!

À mulher cabra que tem o homem que poderia fazer-me feliz e eu a ele, epah que o deixe livre para mim. Seja ele quem for. Mas que o largue neste momento para ele me encontrar enquanto como um hamburguer no McDonalds...

 

 

A ti, Borboleta, hoje tiveste um motivo para te levantares. Fizeste esta mulher que eu sou, sentir-se ainda mais mulher e sentir uma garra pela vida que já há semanas que não sentia. Pode não te valer de muito mas acredita que as tuas palavras tocaram nas veias que me fazem o sangue correr pelo corpo. E estou mais viva que nunca!

 

Es uma MULHER de verdade e olha para ti, arranja-te e VIVE! Porque se não o fizeres ninguem o faz por ti. Enquanto não saires desse casulo de ti mesma não estaras receptiva. E é com a dor que temos que damos mais valor aos pequenos prazeres da vida que já são raros nos dias que correm. Olha em volta, não procures mas também não feches os olhos. Olha eu... Tanta dor. Mas é minha. E estou a partilhá-la com todos para que me custe menos. Malvadez? Não! Ou não chamariam a isto "aldeia global"... E nas aldeias o problema de um é de todos!

 

Ergue-te, pinta-te, veste o teu melhor casaco que está frio e sai para a rua beber café!

 

Já te amo como pessoa e nem sei quem és! Agora olha aguenta-te com a minha mão pesada de possessividade em cima!

 

 

 

 

 

Obrigada por me lerem, se chegaram até aqui, agora levam um beijinho e um abraço grande! E guardem os "cangurus" dentro das bolsas marsupiais (ouso dizer "pilas") que a Pobre(o)Tanas não as mede. Mede sim a inteligencia que vos sai dos olhos. O brio que emanam da vossa alma. Quanto às senhoras, temos o período, que posso dizer mais? Sem ele, os homens não nasciam e com isso tenho tudo dito!

 

 

 

AMO O MUNDO INTEIRO E AMO-ME A MIM!

 

Vou ali ao McDonalds...

Autoria e outros dados (tags, etc)

30
Set08

Isto digo eu que sou higiénicamente deprimente nestas questões de relacionamentos:

 

 

No meio de gritinhos histéricos e pedidos aos deuses para mergulharem o "pincel" na "lata" com mais força, o pessoal descontrola-se e inventa com cada jura de amor que nem sequer existe.

 

Epah não inventem. Se não querem mais do que aquilo digam logo mas pelo menos já se sabe o que a casa gasta e depois cada um decide o que quer.

 

Mais uma vez digo que andamos desprovidos de sentimentos. Não há nada que me agrade menos nesta vida que isso mesmo.

 

Hoje em dia dar um beijo é algo vulgar. Damos beijos nos amigos, amigas e até beijamos os nossos animais de estimação na boca... Ok o sentimento não tem nada a ver obviamente mas queria mostrar o quão básico se está a tornar. Lembro-me de beijar posters dos meus artistas preferidos quando tinha 9 anos mas pah... (O Chris Brown ainda não andava nestas andanças de musica).

 

Não o diga que também não o faço, talvez até tenha sentimento quando o faço mas as pessoas não querem nada sério então enfio na minha cabeça que não teve qualquer importancia o que acaba por me parecer mais cedo ou mais tarde quando penso no assunto.

 

Porque? Porque é vergonhoso, na época que corre, gostarmos de beijar com sentimento. Fazer "o" amor com sentimento. Hoje em dia é curtir com tudo o que mexe, com o gajo, com o vizinho, o primo, o tio e até a avó, e "secso" é o que não deve faltar. MAS!!! Sem sentimento porque isso é feio... Há que ter amizades "coloridas".

 

SEXO! QUEREMOS É SEXO!!! GAIJAS BOUAS!!! E GAIJOS BEM APETRECHADOS!

 

Não meus amores, todas as gajas e gajos são iguais. TODOS se cagam e muitas vezes rompem o papel higiénico e limpam o cu aos dedos, cheirando de seguida.

 

Toda agente dá puns, e onde pensamos que aquele cafézinho que pagámos vai parar? A uma extensa bufa mais tarde na privacidade do seu lar.

 

Aquela loura boazona de tetas em feitio de meloa? Sim ela tira macacos do nariz com as unhas de gel que tanto dinheiro lhe custaram na nails 4' us, se não conseguir tirar com o papel...

 

Aquele Mr. Musculo ou o Xunguita da tua zona? OH! Esse é ele e o PitBull os dois em sintonia... Um traque cada um!

 

NÃO ME FODAM! Não há cá coisas perfeitas...

 

 

Eu não sou perfeita, Tu não és perfeita/o e muito menos pretendo essas perfeições...

 

 

E quem fugir porque uma pessoa que sofra dos joelhos, como eu, não consiga ser uma atleta na cama por não conseguir fazer aquela posição de salto encarpado, com 3 piruetas com os dedos dos pés esticados e 1 par de cuecas na cabeça, então bem pode ir comer aquilo que os caezinhos das louras fazem aí na rua, porque estou-me pouco lixando!

 

Mas pior que isso é usar as pessoas e gozar com os sentimentos de alguém. E cada vez vejo mais isso a acontecer. A mim e aos poucos amigos e conhecidos que me restam.

 

 

 

Aos que me respondem (de forma directa ou indirecta porque me contaram):

 

- "O nosso amor nunca vai acabar.... Porque também não existe...". - Filipa

 

- "A menina está disponível e é higiénica?"... - Familiar de uma conhecida minha.

Autoria e outros dados (tags, etc)

23
Jun08

Que fazer...

por Pobre(o)Tanas

 

 

 

 Quando gostamos mesmo de alguém e essa pessoa não se decide?

 

 

  Que fazer quando sentimos cada vez mais a falta dela num mundo em que nada faz sentido?

 

 

 

 

 Sinto-me só sem ti. Não deveria dizer isto. Faz-me parecer fraca mas sinto tanto a tua falta. Sinto falta do teu sorriso, da tua mão agarrada à minha, dos teus beijos vindos do nada sem razão para tal.

 

 E agora que tanto precisava de ti, tu, afastaste-te com receios de mim... De ti... de Nós...

 

 

 

 

 Aqui sei que também tu não me lês, apesar que gostaria que lesses isto e soubesses que o que sinto é real, que enquanto tivesse nas minhas mãos, não irias sentir dor. Mas aqui não me lês e aqui posso dizer, finalmente, que és aquilo que eu queria para mim. Sem vergonha de o dizer, sem medo de o mostrar, sem receio de me sentir minima.

 

 Tenho chorado na tua ausência e pensar o porque de tudo estar assim, tão frio, tão amargo... Tenho chorado por não saber o que sentes e o que pretendes.

 

 Se estivesses comigo tudo seria mais facil, tudo não passaria de um pequeno vento forte que queria que eu recuasse. Mas estou no meio da tempestade. Sem ti. Apenas com uma incerteza. Incerteza dos teus sentimentos. Da tua verdade. De ti por completo.

 

 Sei que não me podes ler. E suspiro de alívio por isso... Porque se me lesses saberias os meus verdadeiros sentimentos por ti, terias medo da intensidade deles e... fugirias...

 

 

 

 

 

 

 

Diz que ficas comigo...

Autoria e outros dados (tags, etc)

12
Mai08

A minha Rosa... Negra...

por Pobre(o)Tanas

 


 


 


 Quando era mais menina, sentada no chão, brincava com as minhas bonecas e bonecos, e imaginava casamentos e relações de cortar a respiração entre eles. Lembro-me que havia sempre uma vilã e um vilão prontos a acabar com a felicidade dos recém casados mas que acabavam por desisitir. Se eu estivesse bem disposta os vilões tornavam-se bonzinhos e até se casavam entre si, se estivesse chateada, tinham uma morte um tanto ou quanto violenta que acabava sempre no tanque de lavar roupa da minha avó, habitado por criaturas nada simpáticas - normalmente uma tartaruga ou um peixe do nosso lago que eu punha dentro do tanque de água limpida.


 


 Nem sei onde pararam as minhas bonecas, os peixes já morreram e o tanque continua a servir para lavar roupa que não a minha.


 


 Cresci. As bonecas foram trocadas por livros, CD's e telemóveis. As relações, comecei eu a fazer parte delas, como um escritor que vive a história do seu livro.


 


 Hoje, ao fim de uns poucos de anos, olho para mim e para a minha ingenuidade, tão própria de menina que não sabe o que a vida reserva e pensa que tudo não passa de um mar de rosas. Mas as rosas têm espinhos e neste tempo em que nado nele, fui cravada por eles, vezes sem conta.


 


 Quando estou cansada, sento-me na margem e retiro os espinhos do meu corpo, lambo as feridas, qual animal sobrevivente, e entro devagarinho no mar, a medo, para não ser picada mal eu recomece a minha saga.


 


 Tive espinhos retirados com facilidade, tive outros em que gritei para os arrancar e outros que se entranharam dentro da minha pele de forma tão profunda que ninguém os conseguirá remover.


 


 Vivo na esperança de voltar a encontrar a minha felicidade de menina. Aquela certeza de querer viver numa casa com o meu marido e rodeada de filhos. Casa cheia como costumo dizer. Os amigos, os cães e os gatos, o periquito e a sogra. Todos benvindos.


 


 No entanto algo me diz que nunca será assim...


 


 Ontem, num ataque de choro, disse à minha mãe que me sentia uma pessoa suja. Disse-lhe que achava que não era merecedora de ninguém. Achava que eu não tinha o direito de ser feliz por erros cometidos no passado, que a meu ver foram enormes e na visão dos outros foram coisas que até passariam despercebidas. No entanto o que conta é a minha consciência e essa não descansa. Já lá vai o tempo em que me deitava na almofada sem pesos.


 


 Às vezes não me sinto bem, sinto que não sou digna das oportunidades que a vida me dá e que as deixo escapar com medo de sofrer outra vez. Não vivo com o coração, vivo com a minha cabeça.


 


 Esta comanda tudo. O meu coração quer dizer coisas que mostrem aquilo que sinto, mas a minha cabeça não o deixa. Constantemente é mandado calar. Depois faço coisas que não deveria fazer, tomo posições e atitudes de pessoa pobre de espirito. Querer e não poder, porque a consciência diz que não mereço. Que sou uma merda, que deveria estar pior porque é esse o meu castigo.


 


 E assim me deixo ir, apesar de tocar a vida e saboreá-la, no entanto não da forma intensa que deveria ser. Da forma que deveria uma rapariga da minha idade sentir e viver. Porque a sociedade condena os que se apaixonam, porque o amor e as relações, neste mundo em que vivo e no qual não pertenço, não tem carinho por ninguém.


 


 As relações, na minha idade, baseiam-se em sexo desenfreado, em promessas que não o são e em palavras que nem o vento as leva. Porque ficam cá registadas de forma negativa...


 


 Oh Deus! Que venha alguém mudar esta minha culpa, que me mostre que a vida tem sentido e me erga nos seus braços de forma triunfante. Porque me conquistou. Porque é uma vitória fazê-lo. E depois, me trate como se fosse a rosa que do mar saiu...


 


 


 


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

23
Abr08

Post da Mãe - Parte II

por Pobre(o)Tanas

 


 


  Por falta de tempo e por andar cansada (e também porque no trabalho acabaram-se os minutinhos para o blog porque o patrão não nos quer na internet nem à hora de almoço) aqui fica mais um post da minha mãe... Como gosta de me enviar estas coisinhas, feitas por ela, a meio do dia...


 


-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


 


 


 


 


ALIANÇA


 


 


Hoje recebi uma mensagem de uma Amiga que a dado momento da mesma, falava de uma “aliança”…


 


Palavra que me dá um indicador “alia”…junta…une….


 


Então, hoje dá-me para falar de uma “aliança”


 


Recuo no tempo, ou não fosse uma boa “caranguejola”, que, para os menos entendidos ou menos interessados nestas coisas de astrologia, é mesma coisa que dizer “álbum de recordações ambulante” e revejo-me enquanto menina a mexer no guarda jóias da minha Mãe, onde repousava uma linda aliança “grossa”  e de ouro, que só era usada em dias muitos especiais, nos dias de festas….


 


Que bom….deixem-me ficar um bocadinho lá….enquanto menina….era a Alice e o Jorge, um casal muito amoroso, em que ela era eu/Alice e ele/imaginário Jorge….


 


Mas esta família não estava completa…então e o filho? Vamos lá, toca a correr para ir buscar ao quarto da minha Mãe, afinal era no quarto dela que eu tinha tudo para alimentar o meu sonho de Menina: Família, uma almofada que não sendo muito grande, era redonda porque servia para enfeite da cama e amarfanhada, debaixo do meu vestidito e eis uma gravidez à pressa….e logo a seguir…nascia o bebe…bonequito de plástico com uma chucha na boca e vestido apenas com uma fralda…que delicia… e só custava 2$50 no Mercado……INOCENCIA


 


Hoje Mulher já não acredito na “aliança” nem naquela que era só para as Festas….Primeiro porque já não tenho junto de mim e há muito, quem a usava e ma emprestava sem saber (era usada as escondidas), depois porque já usei duas minhas e das duas só uma restou e para espanto meu que, repete-se no tempo e neste momento quem a usa…A MINHA FILHA JOANA.


 


Dou comigo a perguntar o porquê de tal atitude e da análise feita, resta-me que a solução que encontrou para a separação abrupta dos Pais, foi uni-los no dedo Dela…


 


E com Ela repete-se tudo, a sensibilidade, a família, o amor, a paixão, o sensato, o cordial, o amistoso…….e a desilusão


 


Não aceita a injustiça, clama pela verdade, reclama da maldade e acaba por dizer “não pertenço aqui”….


 


Desenha desenhos (perdoem-me a redundância) com os olhos da verdade e da humildade, pinta com a alma e escreve com o coração….


 


È uma viajante do Mundo, percorre quilómetros de sonhos, desagua nos mares infinitos, procura terra firme e no meio destas andanças, cansada, senta-se e espera pelo seu PRINCIPE.


 


É jovem Menina, é a minha Filha Joana é a “aliança” da Avó que nunca conheceu e é as “minhas alianças” , que teimosamente usa a que restou,  para sentir que “nada está perdido” apenas “parado”….


 


É A MINHA ESPERANÇA ….É O MEU VALOR  

Autoria e outros dados (tags, etc)

16
Abr08

Post da Mãe - Parte I

por Pobre(o)Tanas

Hoje apetece-me escrever….


 


O espaço é teu, Filha….não, vou chamar-te Filha Amiga….


 


O desafio que te deixo e depois de diariamente ler os teus escritos é, o de falares naquilo que, consideramos um tema muito abordado por nós e para o qual, por muito que falemos, ainda não conseguimos uma resposta e, sabemos muito bem que, nunca iremos ter, pelo menos da forma como pretendíamos, com certezas…


 


Falo-te daquela interrogação que já a fizemos uma à outra: de onde nos virão as capacidades, de amar, odiar, querer, ter paixão, empatia, telepatia…aquelas que não são da matéria, que, provavelmente e me desculpem a ignorância, também não serão da física…


 


Faço isto propositadamente e no fundo,  sei que vai ser um tema que poderá levantar muita celeuma à volta do teu blog, mas vamos chamar a ele outros tantos como nós ou ainda mais,  diferentes de nós, mas que…..da discussão nasce a luz….então faça-se luz….


 


Nos tempos que correm, cada vez mais vamos tendo necessidade de procurar respostas para questões que, sempre fizeram parte de um passado, mas toscamente se trataram ou abordaram. Hoje, as ciências exactas evoluíram, façamos então comentários às que não sendo exactas, provavelmente também farão parte de nós…


 


E porquê?, perguntaram


 


Porque temos necessidade de falar de outros valores que hoje não se usam, porque são “clichés”….vamos falar de amor, amor a nós e aos outros…espiritualidade, sensibilidade…tudo menos química, porque nesta nós sabemos que se inclui a adrenalina….


 


E a propósito, aqui fica a pergunta….Há quanto tempo não dizes a uma pessoa que a amas, que a amas bem lá do fundo do teu coração….


 


Começo eu…EU AMO-TE E MUITO FILHA,  DO FUNDO DO MEU CORAÇÃO


 


A Mãe, uma pobretanas como tu, mas feliz porque te tenho     


 


 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D