Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Agora sou esposa, mãe, completa! Mas continuo minha... Sempre!


23
Fev11

Conversas nas Calhoeiras

por Pobre(o)Tanas
"Dr. Where's Wally?" chega perto da recepção com sorrisinhos.

Pobre(o)Tanas (POT): Estou chateada consigo... Claro que estou. Já viu como me trata? "Chegue lá aqui..." e olhando como se nos fosse fuzilar tentando meter medo às pessoas...

Wally: Em casa também se queixam do mesmo. Dizem que sou muita bruto...

POT: Por falar nisso qual o seu signo, Dr.?

Wally: Eh... sou um muito ranhoso... Eu gostava muito de ser Escorpião, Carneiro ou...

POT: Touro como eu! De ascendente Balança... Um Touro desiquilibrado.

Wally: Eh eh!

POT: Mas diga lá...

Wally: Peixes...

POT: Também tenho um em casa. O meu Jacinto é Peixes.

Wally: Já viu bem? Atura um aqui no trabalho e outro em casa.

POT: Nah, nah... Só no trabalho.

Wally: Então?

POT: Lá em casa se o Jacinto me tratasse como o Dr. me trata eu perguntar-lhe-ia com quem é que ele estaria a falar daquela maneira...

(E um silêncio propagou-se)


Vou-me aventar para a cama. A noite passada dormimos mal...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Olhando para a minha família assim num todo, deixar que a alguns lhes crescesse a barba e era enfiá-los num freak show e ainda ganhava bons trocos com isso. Comprava mais depressa o carro que pondo o dobro do dinheiro de parte até Novembro como estipulado. Qual quê... Em Maio já andávamos de cu tremido!

Por vezes o Jacinto pergunta-me se a minha família é maior ou quantos primos tenho... Rolo os olhinhos e solto um

"Sei lá... Direitos só tenho 2 e não gosto da miúda que é muita snob e c'a mania das riquezas..."

Depois lá lhe conto alguma história que englobe mais primos do que aqueles que contei que tinha e ele diz-me que afinal tenho imensos.

Tenho... Tenho tantos que 50% não conheço ou não me lembro deles... São em 3.º, 4.º, 5.º, 29384º grau tipo ciganos em que a prima do irmão da tia da avó da enteada da cunhada também é prima. Tenho tantos que posso passar por eles numa rua, vê-los sentadinhos no chão e dar-lhes uma esmolinha... Ou eles a mim pois acho que também tenho daqueles com guito nem que seja ganho através de lavagem de dinheiro...

Daí que de momento não privo com família que não passe por aquela que esteve comigo mais de uma vez por mês durante o meu crescimento. Por isso quando a minha mãe me conta que o meu tio Manuel das Entaladelas fez isto ou aquilo, que está chalupa ou diabo a sete, que a minha prima Josefina do Céu que Deus tem foi apanhada a pinar com o filho do Padeiro da rua direita há 40 anos atrás e foi enclausurada num convento, que o primo Romeu das Empadinhas era o mais inteligente da família mas um ataque apoplético o levou para o lado de lá do real vivendo agora maritalmente com o Principe da Branca de Neve num resort qualquer no meio do Pacífico, eu pense para comigo que deve estar a falar de algum vizinho de uma colega dela que nunca vi mais gordo ou de personagens de algum livro barato que comprou.

Infelizmente não tenho a família que o Jacinto tem em que todos se juntam e quando o fazem (que são imensas vezes) várias mesas têm de ser postas lado-a-lado para que caibam todos a confraternizar.
Na minha família ou não há tempo para confraternizações ou está tudo de costas voltadas por causa de partilhas ou zangas de há 5 gerações.

Acredito que hajam primos que não me falem porque a trisavó deles e a minha se chatearam por um par de cuecas cagadas no lavadouro da aldeia... Por uma pulseira que pertencia a 15 irmãos e que um dia *puff* desapareceu e todos se atacaram com sacholas, forquilhas e um tractor com uma charrua atrelada sem nunca pensarem que podia ter caído num buraco do chão da casa ou alguém fora da família a tivesse "levado"... Não... Ninguém tinha inteligência para ver outras hipóteses como roubo, perda, extravio ou desvio levados a cabo por alguém que nada tinha a ver com a família... Não senhor... Não se acha é porque "(...) foi o meu irmão/ã que a roubou para comprar um terreno só para ele/a que nem sequer terá nunca uma licença de construção e habitação e sim meia duzia de castanheiros que nem castanhas de jeito dão para se vender".

Um irmão compra um carro, o outro compra o topo de gama da marca... Mesmo que fique desfalcado e sem dinheiro para dar de comer à família ou viva numa barraca sem luz... Que interessa? Tem um Rolls Royce Phantom VI à porta da barraca pois que a ideia era essa...

O meu irmão fica chalupa e tem de tomar medicação diária para não se ficar de vez ou matar alguém com os seus ataques de neo-nazismo extremo derivado de uma bipolaridade com rasgos de esquizofrenia aliados a um comportamento obsessivo-compulsivo e nós como irmãos dele vamos ajudá-lo... Marcaremos uma reunião para ir a casa dele e fazer o testamento mais depressa antes que ele seja preso por posse de droga ou se mate debaixo de um cavalo da GNR numa procissão.

Sou viúva, tenho uma casa humilde, um ganha-pão e 3 filhos pequenos para sustentar. O dinheiro é contadinho, não dá para tudo mas ninguém passa fome. Vou ao mercado e compro 3 postas de pescada no fim do mês para os meus filhos, a minha prima vê-me e comenta com outra prima nossa que sou uma esbanjadora e que não sabe onde vou ao dinheiro mas que devo andar metida com o patrão e quiçá o meu ultimo filho não terá umas certas parecenças com ele... Mas se não andei com o patrão fui muito burra pois ele até que era um bom partido e um senhor de classe que me daria uma vida desafogada e amaria os meus filhos como se fossem dele.

Isto é a minha família ou o que ouço dela... Assim de longe... Com um funil no ouvido.

Por isso prefiro estar no anonimato de toda esta gente que parece que tenho como parentes mas que nunca vi no seu todo. Até porque deixei-me de coisas familiares. Não sou nada "família"... Já fui. Mas tenho aprendido que isso dá muito trabalho e requer muita medicação.

Toda esta conversa tem uma razão de ser... A herança que o meu avô materno é capaz de ter deixado...

Isto agora é tipo as pessoas em direcção a um qualquer festival de música para ver a sua banda preferida actuar. A caminho todas se juntam e entreajudam a encontrar o caminho, a estrada que lá possa dar, chegados à entrada já torcem os narizes na fila e até se vê um ou outro empurrão, quando entram todos querem ficar na primeira fila do palco e há dentadas e merdas a voar em direcção à cabeça dos outros e se algum artista manda as suas cuecas ou peúgas para o público, matam-se todos por um pintelho...

Família e época de heranças é tal e qual isto... Ajudam-se na questão de advogados e demais papelada para foderem quem tem maior parte da herança, no dia das partilhas já se olham de lado e quando sabem o que coube a cada um há merda na certa...

Por estas e por outras decidi que nunca hei-de ter nada que os meus filhos possam herdar... Quando for velha com o meu Jacinto estouramos o guito todo em moteis e sandes de presunto e queijo da serra. Aventamos os maços de notas para cima da cama e acendemos uns joints com eles já de barriga cheia!

E sim fumarei nos meus últimos dias de velhice! Ou dava o dinheiro todo aos filhos?... Está bem, está! Quando for velhinha terei o direito de fazer as coisas que me derem real prazer e fumar um bom cigarro ou mesmo uma ganza coçando os meus cabelos brancos enquanto escrevo ou desenho debaixo de uma árvore em pleno Agosto do ano 2041 será sem dúvida uma delas. E isto podem escrever! Por agora e nos próximos sei lá... 30 anos quero manter-me bem afastada do tabaco e tudo o que possa trazer consigo e isto é mesmo sério pois quero estar saudável e ter uma casa respirável para os meus filhos, depois que tenham idade de ir para a tropa, faculdade, boites ou lá o que precisarem de fazer para o seu ritual de passagem à vida adulta, orientados e com mentalidades formadas, eu e o paizinho vamos fazer o que nos der na telha!

Quem sabe não montamos, de caminho, um casino clandestino ou um outro antro qualquer?

(Ace Of Base - Living In Danger)


Autoria e outros dados (tags, etc)

E uma semana passou...

Não tem sido fácil mas acho que já que estou há 8 dias sem fumar pelo menos continuo...

Até porque o objectivo será talvez fumar um "cachimbo" destes no fim do ano...


(Imagem da Web)

Nada de especial a contar tirando o facto de ter tido uma birra imensa este fim de semana. Oh senhora birra... Nem comigo me sentia bem. Apetecia-me tirar a pele e enfiá-la na máquina de lavar/secar para ver se isto encolhia um bocadinho e me servia no meu "EU" pois mais parecia o demo em cuecas...

Viesse cá um exorcista com água benta e era ver-me a trepar paredes e a fazer a ponte no tecto de casa.

Até os cães e gatas andaram sossegados... E nem se ouviram passarinhos na rua...

Não tenho escrito nas alturas em que me apetece fumar... Porque ou têm sido poucas ou tantas que não haveria papel que chegasse... Quando me apetecer... Avento qualquer coisa para o papel...

Autoria e outros dados (tags, etc)

16
Fev11

O dia foi calmo. Felizmente hoje não me deu para chorar! Nem me enervei...

Tenho tentado comer de 2 em 2horas ou de 3 em 3. Uma peça de fruta, metade de um queijo fresco ou uma bolacha e assim colmatar toda esta vontade de comer e tentar a todo o custo não aumentar de peso. Não é por ficar badochita ou assim é mesmo devido aos meus joelhos e não poder engordar visto depois não conseguir andar com o peso e tamanho do meu cagueiro. E também é cedo para ver se engordarei ou não. Enfim uma maçã ou uma banana têm feito milagres quanto à fome que tudo isto tem gerado em mim...

Tirando este tempo de merda, a vidinha corre bem em todos os aspectos. Cheguei a casa e agarrei-me ao aspirador e à esfregona. A minha casa estava um nojo. Agora sem cinzeiros à vista, todos lavados e arrumados, até que cheira bem melhor! E o nosso bolinhas? Passou da Portocel para uma loja de perfumes na 5th Avenue. Agora o que notamos é na roupa... Ui! De manhã é andar a cheirar camisolas e casacos... Todos eles lavados mas a cheirar a "bafum"...

Tenho dormido lindamente...

"Agora Não Que Estou A Fumar Letras"

Dia 3 (16 de Fev. 2011)

10h02 - Esta manhã tem sido fácil! Tomei o meu cafézinho descansada e agora comi a minha meia banana. Acordar tem custado muito menos e à noite temos tido tanto sono que vamos a correr para a cama. Sonho imenso. Sonhei que tínhamos um filhote. O Zé Luís. Muito lindo e inteligente o nosso menino! Era parecido com o meu Jacinto! Sempre sonhei imenso com o Zé Luís independentemente de um dia ter uma filha e nunca ter um rapaz. Mas sonho...
O penso continua a dar comixão de manhã... Coloquei-o no antebraço.

11h51 - Tenho o braço dormente há imenso tempo. Dá-lhe espasmos. Estranho!
Comi a outra metade da banana. Lembrei-me do tabaco 5 vezes... Comentei sobre ele, 3... Porque me perguntaram como me sentia.

12h06 - Lembrei-me que banana e café pode ser uma mistura explosiva...

14h10 - Foi a hora de almoço mais fácil que tive nestes dias. Há 3 dias que não fumo mas nos entretantos já estou a fazer uma licenciatura em pastilhas elásticas.

17h46 - Tarde FÁCIL!!! Abençoado queijo fresco e maçã... FÁCIL!!!

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O Jacinto diz que vou voltar a fumar porque não penso noutra coisa e não falo de mais nada. Mas bolas... Preciso de falar e de dizer como me sinto... Sempre foi assim. Falando curo a alma... Não me basta vir para aqui e falar do que me apetecer e do que me vai na mona... Se não me quiser ouvir, temos pena... Mas preciso... Para conseguir chegar a algum lado e conhecer coisas em mim que ainda não despertaram.

Por falar nisso, fiz ali ao lado --------------------------» uma votação... Vamos a ver o que dizem os resultados daqui a umas semanas

Anseio por dias de primavera ou verão. Andar descalça e com roupa que me deixe respirar sem me sentir um boneco da Michelin...

Avento p'raqui duas músicas da lista da Banda Sonora da Vida da Pobre(o)Tanas.


(Hooverphonic - Mad About You)


E a fantástica Sade com...

(Cherish The Day)

Autoria e outros dados (tags, etc)

15
Fev11
Hoje andei um bocado torturada. Não só pela falta do cigarro mas de sentimentos. Deu-me para andar piegas o dia todo e o pior estava para vir. À hora de almoço o meu Jacinto era para me ir buscar como todos os dias para irmos a casa almoçar ao meio dia e meia. Era 1 da tarde e nada... Liguei-lhe. Nada... Esperei 4 minutos... Liguei-lhe novamente... Nada... Stressei... Mandei-lhe sms... Nada... Nessa altura já estava preocupada... Sei que lhe liguei mais umas 5 vezes e quando dei por mim já eram 13h30... Eu entrava às 14 e nada do Jacinto. Senti um aperto. Senti o peito comprimido. Senti ainda uma lágrima a querer rebentar e quando disse às minhas colegas que nada sabia dele e estava louca de preocupação, desato a chorar! Nisto já tinha ligado para a empresa dele (estavam todos em hora de almoço e ninguém me atendia), liguei para a minha mãe, liguei para a nossa cunhada... Conclusão pus meio mundo à procura do meu Jacinto que no fim de tudo tinha deixado o telemóvel dentro do casaco no escritório e andava lá na vidinha dele sem noção do tempo. Posto isto, chamou-me tonta quando lhe contei como tinha ficado. Depois deste susto e ter comido à pressa para chegar a horas ao trabalho (cheguei 5minutos atrasada) andei a tarde toda como se tivesse sido passada por um comboio. Toda eu era achaques. Qualquer coisa me vinha a lágrima ao olho, qualquer coisa me dava tremeliques.

Não associo isto somente à falta de tabaco. Sou sincera. Associo sim ao turbilhão de emoções que para aqui vão quando tenho de colocar todas as minhas forças para mandar esta merda para trás das costas. Até esta noite sonhei como há muito não sonhava. Lembrei-me de tudinho. Tenho dormido bem melhor. Pelo menos com consciência que de manhã não irei pegar no cigarro ou que a meio da noite não vou ter um ataque de tosse que me obrigue a ir tomar xarope para conseguir dormir ou que, se deixar isto de vez, morrer de "câncaro" nos pulmões será mais dificil...

Pensei mais em tabaco à tarde que de manhã...

"Agora Não Que Estou a Fumar Letras"

Dia 2 (15 de Fev. 2011)

09h17 - Fartei-me de sonhar esta noite. Acordei às 3 da manhã. Sonhei que o Jacinto tinha desistido e recomeçado a fumar. Fiquei triste porque sabia que sozinha ia ser bem mais dificil. Quando acordei de manhã estava bem disposta como há muito não acontecia. Abri os olhos e ri-me. Nada normal em mim... Normalmente enterrava a cabeça na almofada e queria que o mundo acabasse para continuar a dormir mais 5 minutos. Agora não me apetece que acabe pois tenho esta etapa a cumprir.
Ainda não bebi café... Mas já comi uma maçã!

12h27 - Esqueci-me de escrever. Talvêz porque não tenha pensado no tabaco tantas vezes que me fizesse escrever sobre ele. Mas já passei por stresses hoje. Não me lembro se me apeteceu fumar. Talvêz. Tentei não me exaltar mas também disse o que tinha a dizer. Antes engolia algumas coisas e ia remoê-las a fumar. Hoje que não fumo, digo o que me vai na alma...

14h21 - Depois da ansiedade que tive à hora de almoço penso que mais um obstáculo está ultrapassado. Por esta altura, em pouco mais de 2 horas, já teria 5/6 cigarros no bucho. Depois de almoço o corpo nem pediu...

16h37 - Estou triste e não tenho agora razões para isso. Sinto-me partida por dentro. Só quero ir para casa... Já tomei 1 café. Tinha uma dorzita de cabeça. O penso só me dá comixão de manhã. Pastilhas? Já lhes perdi a conta. Mordo muito a língua...

17h07 - Além da tristeza que sinto, troco os nomes às pessoas... Enquanto isso vou fazendo contas ao dinheiro que podemos juntar ainda mais por mês. Agrada-me...

18h05 - Casa! Casa! Quero ir para casa!!!

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O "Dr. Where's Wally?" hoje levou pela proa... Engoli a sua vontade de fazer uma reclamação quando não tinha razão para tal e não ia levar nada a lado algum e até lhe expus essa questão por ser um erro nosso e tal. Mas para ele e restante gente grande das empresas o erro nunca é nosso... E isso faz-me espécie as pesoas não admitirem... Contudo quando questionei uma pessoa da empresa da qual o Wally queria reclamar e consequentemente o informei de como as coisas se processavam levo a seguinte resposta dele:

- O homem é motorista da empresa. Não percebe nada disso! Ele só carrega caixotes, pah...

Pah?

PAH??????

Então o meu lado de Che Guevara do Povo Trabalhador veio ao de cima e disse-lhe:

- Dr., não julgue as pessoas somente pelo que fazem de profissão... (Podia ter acrescentado que nem todos são doutorados mas preciso de trabalhar... calma lá...) Não tenho minutas de reclamações idênticas e nunca reclamei de nada por escrito na minha vida... Se me puder dar umas luzes de como quer reclamar, consigo fazer aquilo que o Dr. pretende que eu faça.

Rodei os calcanhares e ali fui eu fumar... Mentalmente!

Um colega perguntou-me:

- Com quem estavas a falar mesmo?

- Com o Dr. Wally, porque?

- Ah...

Daí a 5minutos estava tudo na risada e aventado para trás das costas. E melhor, ainda não houve nenhuma reclamação...


Autoria e outros dados (tags, etc)

Ontem andámos a ver carros. Depois de fazermos contas, de virarmos orçamentos fictícios, tirar acessórios, colocar coisas baratas e pedir a cilindrada mais baixa, reparámos que para nenhuma das hipóteses teríamos dinheiro para a entrada e se tal não acontecesse, dar 300 euros por mês para um carro achámos um exagero. Daí que quando desligámos o computador e nos deitámos, fizemos mais contas ainda e tomámos uma decisão:

Deixar de fumar.

Já o mês passado o Jacinto tinha comprado pensos a pensar que um destes dias nos desse a travadinha e acabássemos de vez com este vício que nos leva os mesmos 300 euros por mês ou mais. Levantámo-nos da cama, fumámos o último cigarro na sala e hoje de manhã colocámos os pensos com o acordo que seria com convicção mas que se algum cedesse não seria o fim do mundo. Vamos levar isto na descontração e ver onde vai dar. Sem muita pressão e com pensamento no carro que queremos.

Porque sendo assim o dinheiro do tabaco dá para pagar a prestação e ainda manter a qualidade de vida que tínhamos quando se fumava. Agora fumar e carro não dá. Por isso é a nossa meta.

Nos entretantos, quando me apetece fumar, escrevo o que sinto física e psicológicamente e por isso o Aventa P'raí terá, a partir de agora, a secção diária

"Agora Não Que Estou a Fumar Letras"

DIA 1 (14 Fev. 2011)

08h47 - Já estou no trabalho há 47 minutos. Sinto uma ligeira "moínha" na cabeça. Já bebi o café que tanto temia e que puxava pelo primeiro ou segundo cigarro do dia... Mas correu bem. O penso deu-me imensa comichão mas já passou. O que tem custado mais é o que fazer com as mãos. Nem é falta do sabor do cigarro, nada disso. É mais o gesto... Depois do café enfiei uma pastilha na boca. Estou com dores de barriga mas deve ser mesmo da cafeína a dar a volta à tripa...

09h41 - Estou um bocado maldisposta. A pastilha deixou de ter sabor e por isso vou trocá-la por outra. Desde a ultima vez que escrevi pensei 15 vezes em tabaco e falei nele outras tantas. Estou aflita para fazer xixi. Desde que entrei já fui à casa de banho 3 vezes. Deve ser dos nervos...

11h13 - Já vi 3 colegas a fumarem e senti o cheiro. Não me afligiu à primeira, nem à segunda mas à terceira deixou-me... Saudosa?
Já vou na 3.ª ou 4.ª pastilha. Também já comi 3 bolachas de chocolate. A moínha de cabeça passou para a testa e para a nuca. Mas já estou bem dispostinha. Estou ansiosa para saber como o meu Jacinto se está a dar mas nem o vou lembrar disso...

11h56 - O penso está a dar-me um comichão danado! Ou é a pele a absorver a nicotina como pode ou o corpo a dizer: "Vá, pah! Arranca isso que te dá comichão e vamos fumar!!!"

15h10 - Depois de almoço a coisa ficou feia. A barriga cheia e as mãos desocupadas levam a muitos desejos... Após o cafézinho então... Mas já estou a mascar nova pastilha: a 2.ª depois de almoço. Ver os outros a ir fumar não me tem feito diferença. Mas já tive o impulso de me levantar ou meter a mão ao bolso das calças à procura do isqueiro. Hábitos!
Estou a achar isto fácil demais... E a vontade de "desorinar"? É a 12.ª vez hoje! Será do frio?

15h54 - Descobri o poder das gomas e do queijo fresco comido à colher... Já vou na 3.ª pastilha da tarde. Deixo de fumar e arranjo uma carrada de problemas como diabetes, intolerância à lactose ou cáries...

16h25 - Ok, acenarem-me com um maço de tabaco a fazer pirraça não me faz qualquer confusão... Se querem que surta efeito tentem daqui a 4 dias. Até lá roam-se de inveja porque eu ainda não fumei nada hoje e vocês já vão no meio maço ou mais.
No entanto ir ao gabinete do meu patrão e levar com o fumo dele nas trombas faz-me mal aos pulmões e à ansiedade... Cambada!
Já não fumo há 15 horas! Bonito...

16h57 - 15horas e 32 minutos, se fazem o favor!!!

18h27 - Sair do supermercado depois de ter ido às compras e sentarmo-nos no carro é altura de acender sempre um cigarro... Mas hoje é diferente.

19h15 - Belo jantar... E que bela cigarrada que ia agora... Ao invès como 3 quadradinhos de chocolate e mais 1 pastilha elástica...

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Este será o diário que farei. Assim se quiser desistir olho para o que já escrevi. Não vou enganar ninguém, posso ceder mas como disse vamos levar isto na descontração. Não é nada fácil. E eu só fumo há 4 anos. O meu Jacinto há 8... Ambos começámos a fumar tarde e na altura se tivéssemos levado com uma tábua cheia de pregos pela cara tínhamos ficado bem melhor servidos.

Uma das coisas que mais medo tenho é de engordar. Não que tenha a mania das dietas mas tenho medo que isso aconteça. Mas pronto se acontecer vamos para um ginásio ou assim. Tenho perfeita noção que até ao 4.º dia isto vai ser limpinho e vira peixe... Quando passar o 4.º dia é que vai doer. Da última vez que estive sem fumar porque não me apetecia foi ao 4.º ia que recomecei. Foi nesse dia que me apeteceu fumar. Contudo estou contente com os pensos. Dessa vez não usei nada e agora com os pensos tem sido mais fácil. Mas mais fácil ainda é ser uma decisão a dois... Não há um a puxar para seu lado mas sim para o mesmo.

Agora a pergunta do meu Jacinto:

- Bombix, que fazemos depois a tanto dinheiro???


(Imagem da Web)



Com todas estas emoções à flor da pele nem nos lembrámos que era dia dos namorados... O nosso jantar romântico foi um franguinho assado com batatas fritas e 4 "velas" sentadas nos chão a olhar para nós a ver se caía alguma coisa. Jantar mais que perfeito!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ontem esteve um dia espectacular... Comparado com hoje é como comparar ervilhas com cocó de cheiro.

Como tínhamos ouvido que ia chover, ontem resolvemos pegar nos cães e ir a pé até à barragem aqui perto de casa. São 10/15min a passo rápido. Mas como vamos devagarinho a apreciar a paisagem demoramos mais. Já há 2 semanas tinhamos ido mas quando lá chegámos ameaçou chuva e viemos a correr para casa. Quando abrimos a porta caiu um porradão de água que se nos tivesse apanhado ficávamos tipo pintos...

Mas ontem deu para aproveitar, sentei-me numa pedrinha bastante tempo ali a vegetar ao sol enquanto o Jacinto e os bichos andavam à descoberta de espargos e menta.

Soube bem e para o próximo Sábado ou Domingo quero repetir se estiver assim um tempo fantástico como o de ontem...






















Sim é verdade... Vivo no Paraíso...

Espero é que esta chuva passe para que não fiquemos para aqui aventados no sofá...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Todas as semanas aturo um caramelo no trabalho. Ainda não percebi muito bem que merda faz ele lá se arranja computadores se faz um bocado de contabilidade o que é certo é que é um ordinareco meia leca e quando digo meia leca digo abaixo do 1,65m que é a minha altura. Daí que se o mundo visto da minha estatura parece-me enorme, da visão dele a minha recepção é um país, a empresa um continente e a vila seguinte um planeta... Adiante...

Este fulano, mais propriamente o "Olhos de Charroco", teria caído nas minhas boas graças, como todas as pessoas decentes que se apresentam na minha recepção, se não entrasse a matar como se eu fosse carne para talho e ele o talhante.

Nunca gostei de pessoas que invadissem a distância higiénica que nos separa. Aqueles míseros centimetros valem de muito no que toca àquilo a que chamo de educação. São poucos mas os essênciais para que eu me torne uma pessoa agradável, de fácil diálogo e trato. Pelo que se me tocam nas costas quando nem sequer conheço a pessoa de lado algum, torna-me logo o oposto de tudo o que mencionei anteriormente. Viro a cara, não olho nos olhos da pessoa e esta acaba por ser recambiada para o sítio de onde veio, ou seja, lá longe da minha vista. Se por ventura não perceberem e resolverem atacar-me da segunda vez que me vêem com um aperto de mão prolongado - puxando inclusivé a minha mão quando eu já a estava a retirar - e me olham com olhos de charroco baboso é óbvio que se habilita a levar com furador nos cornos (e o que uso é daqueles que fura logo umas 50 folhas de uma vez...).

Pelo que eu ODEIO este baboso da merda! Dá-me asco! Vir ali todo desgargalado a verem-se os pêlos do peito, tão "alto" que se se chegar perto do balcão bate lá com as trombas e revolver a minha secretária mudando o computador de sítio, o rato para onde lhe convém e outras merdas que me irritam profundamente. Mas eu acalmo-me e vou arquivar ou desarquivar só para não estar ali e reprimir a minha vontade de lhe dar com uma cadeira e abrir-lhe a cabeça ao meio.

Tudo isto seria mínimo não fosse também o ego e altivez dele que são ridículos! Pensa que é muito bom!
E isso reflecte-se no seu carro. O "Olhos de Charroco" tem um Audi A4 dos novos. Uma bomba que se não fosse dele me faria ficar ali, enquanto fumava um cigarro na rua, a olhar para o carrito e a imaginar-me mais o meu Jacinto montados num foguete daqueles, com os cães a babarem os estofos de pele, poder mexer em todos os botões que aquela máquina tem como se fosse um cockpit. Mas não tendo dinheiro para aquilo nada podemos fazer e neste momento posso afirmar aqui que só por associar o carro ao gajo, nunca na minha vida quereria um igual... Nem dado... Bom dado, dado talvêz... Mas depois vendia-o e comprava um Colt de 1994/5 e guardava o resto do dinheiro para comprar umas batatinhas fritas ou meio quilo de sardinhas.

O mais engraçado disto é ver uma pessoa de metro e meio sair de um carro daqueles. Faz-me lembrar duas coisas: Um camionista pequenino saindo de um TIR ou quando vemos uma grande moto, um motard com um corpo fantástico saindo de cima dela e quando tira o capacete é loiro, vesgo e faltam-lhe 2 dentes à frente. É tal e qual!

Estou a imaginar um encontro às cegas com o "Olhos de Cachorro". A fulana não o conhece, decidem encontrar-se numa praça, ele diz-lhe qual o carro que tem para ela o detectar e ficar espantada e ela quando o vê a sair, tira rapidamente o casaco verde alface que leva vestido, enfia-o na mala, esgadelha o cabelo, tira o telemóvel fingindo que está a escrever uma mensagem enquanto se esconde atrás de uma estátua ou de um chafariz...

O ego do "Olhos de Charroco" é do tamanho da cilindrada do carro dele... E penso que ele se mede por aí.

E pessoas que pensam que as outras ficam rendidas pelo que possuem deixam-me nervosa, fazem-me roer ainda mais as unhas, enojada e irritativa. E pior ainda, quando saem à mesma hora que nós só para que vejamos bem o carro que têm... Enganam-se...

O meu Jacinto tem um bolinhas e como o meu mundo pára quando vou entrar naquele carro, cheio de garrafas de água vazias, lenços de papel ranhosos, lama e um cheirete a pêlo de cão molhado, rumo à felicidade do nosso ninho e à paz da nossa vida!




É um belíssimo sem dúvida alguma mas...



Este bastava-me...


(Todas as imagens foram retiradas da Web)

No entanto não há melhor máquina que o velho bolinhas! Vai para todo o lado! E o branco dá com tudo!


E com isto avento uma música que me tem ajudado a adiar um homícidio... Viro costas, trauteio e vou arquivar como se nada fosse e nada tivesse visto...


(Adivinhem o que para aqui vai...)


Toma e embrulha, oh marmota! É que fico mesmo feliz com isto!

Autoria e outros dados (tags, etc)

À cata de coisas baratas no supermercado, com a mania que sou poupadinha, lá me decidi em trocar o detergente habitual para a roupa pelo Ultra Concentrado com cheiro a águinha de rosas após lavar o cu a meia duzia de velhotas haitianas.

Cheguei a casa, super feliz com a descoberta de algo a metade do preço e com um cheiro ainda mais fantástico. Tudo isto após ter feito caras ao meu Jacinto de

"Vês??? Não és só tu que escolhes coisas baratas e fixes... Eu também!!!"

Quando o vou a colocar na máquina... NADA!

É tão, tão, tão, mas tão concentrado que fica colado à embalagem e não sai.

Depois admiro-me que o meu Jacinto me chame o que me chama durante todo o tempo em que estamos juntos.

Cá em casa ele é "Mor", "Jacinto", "Jacinto do Céu", "Opah" e "Tu aí...", para ele eu sou e passo a citar a lista:

* Puvite (que quer dizer pevide... ele chamou-me parva por uma qualquer razão e eu apesar de ter ouvido perfeitamente o adjectivo que me qualificava, pedi que repetisse e ele "Ah... Puvite..."

Depois com o tempo as coisas descambaram e apesar de haver respeito mútuo (ainda não chegámos à violência doméstica com frigideiras à mistura) ele não consegue ficar indiferente quando me vê nua e daí que chegar às alcunhas que tenho de momento foi um passo...

* Badocha (gorda)
* Bombona (gorda com mais de 550kg)
* Bombix (uma gorda com mais de 550kg do tempo do Asterix e do Obelix)
* Cachamela (que na sua linguagem quer dizer "glande"... sim é verdade! E já me benzi...)
* Ou Cachamelona (e aqui não preciso de dizer mais nada...)
* Lhona (diminutivo de cagalhona quando não mo chama por inteiro)
* Manulete (que tem uma música a acompanhar)
* Pirulete+Trotinete+"Biclete"+"Caminete" (assim tudo de seguida)...
* Bufenta (quando me "esgazeio" toda)
* Pavona (quando me armo em boazona)

E a mais recente de todas:

* Carlos.

E no fim disto tudo escapa o "Chiribi" que me chama quando está meloso demais...

Com todas estas alcunhas e outras tantas que ele vai inventando, é normal que acabe os meus dias de vida numa qualquer ala de doidinhos.

Enfim... Já lá vai o tempo em que frases como "Amo-te tanto. És linda, amor! Perfeita!" passaram a versos de músicas do José Cid tipo "Como o macaco gosta de banana eu gosto de ti" ou "Na cabana junto à praia, tu e eu e os "caracóis"...". A compostura foi substituida por corridas todo nu pela casa com umas cuecas minhas, daquelas que escondo o mais que posso no  fundo da gaveta, postas na cabeça. Tudo o que engloba uma relação de gente simples do povo nós temos.

Penso que foi o culminar da nossa cumplicidade quando começámos a mandar traques à frente um do outro. Peidos mesmo! Nada de bufinhas tímidas enquanto se corre para a casa de banho corados e cheios de vergonha porque é algo horrível e que deve ser dado somente na casa de banho. Nada disso! Não fosse termos ultrapassado esse obstáculo fedorento e hoje éramos como o Timon e o Pumba a olhar para o céu estrelado a pensar que as estrelas eram ou pirilampos ou bolas de gás! Ou recorriamos ao bifidus activus para desaparecer o inchaço na barriga.

Assim poupamos energias para outras coisas e andamos bem dispostos.

Pelo que não concebo a ideia de se estar há anos com uma pessoa e não se dar um valente peido com vergonha! Credo! Nem eu conseguia manter uma relação assim. O mundo é perfeito, a nossa relação também e não somos menos educados por isso. Aquilo que somos cá em casa, basta-me para aguentar o mundo hipócrita lá de fora. E sabe bem regressar da rua e ser o que quiser ser. Poder comer com a mãos e chupar os dedos, arrotar de satisfação, dizer que a casa de banho está imprópria enquanto venho a limpar aos mãos como se nada fosse, poder cheirar a chulé ao fim do dia de trabalho quando me descalço, assoar-me e fazer barulho tipo elefante em época de acasalamento sem pensar em atenuar tudo isto porque sou um ser racional e existem regras de educação... 

Já com cera de ouvidos a história é outra... Isso não me peçam para olhar... Uhg!!!

(Imagem da Web)


Quem nunca aventou um peido, avente o primeiro!


Autoria e outros dados (tags, etc)

O meu portátil mais parece uma gaja solteirona a arranjar-se para ir para o engate de tanto que demora a ligar e arrancar. Tem de estar aprumadinho e ter os seus 10minutos de paz para ter o seu equilibrio funcional, abrir todos as porcarias que tem para abrir bem como os virus que se apoderam dele e só depois sim, está pronto para trabalhar. Parece que não teve uma formatação há pouco tempo mas como de computadores nada percebo assim fica ele mais uns tempos até eu ganhar coragem e decidir finalmente mandá-lo a um especialista, ficando, claro está, sem internet durante semanas.

Prosseguindo...

Fim de semana em Lisboa! Mas foi tipo rapidinha que após dá dores de cabeça... 200km's para a esquerda, apagar velas, mais 50km's para baixo, apagar mais velas e percorrer mais 200 para a direita para chegar a casa e descansar a cabeça que não anda boa começando mais uma semana de trabalho!

Ando louca de tanto sono! Por mim desatava a fazer oh-oh que nunca mais acabava. Deveria haver uma hipótese de hibernarmos como os ursos e outros animais no inverno. Chegar ali a Outubro e zás! Engordar uns 20kg, enrolar-me nos cobertores e só acordava em Abril ou Maio. Não porque tenha frio, não porque ande com vontade de andar de pés ao léu, é mesmo por adorar dormir. No mínimo 12h por dia. Sendo que o fim de semana tem 2 dias, pelo menos 12h em cada dia passo a dormir daí que só tenho um dia de fim de semana, feitas as contas. Por mim dormia a toda a hora. Há pessoas que fazem directas acordadas eu já as fiz a dormir. Claro que faço a vidinha normalmente, durmo as 7/8h recomendadas durante a semana apesar de isso me parecer uma sesta e só houve uma época em que dormia 10h por noite, porém quando chegava ao trabalho desatava a chorar de tanto sono que tinha. Sentia uma impotência enorme por querer manter-me acordada e nada. Mas como veio, passou... Enfim, acho que não tenho cura e quando tiver um filho quero ver como será... Eu a querer o meu sono de beleza e o miúdo a querer mama!

Na sexta-feira a minha velhota caiu e desmaiou. Não partiu nada, felizmente, e no hospital os exames nada acusaram. São 80 anos e uma data de preocupações na minha cabeça por ela estar sozinha. Passámos o sábado e parte da manhã de domingo com ela. O meu pai fez jantar de aniversário e lá fomos nós. Pintei-a, arranjei-lhe o cabelo e lá ia ela toda vaidosa. Pena que o meu pai nos tivesse negligenciado um bocado em prol da mulher e filhos desta, de primas que apareceram durante a tarde e restante merdice que lhe "ocupou" o tempo e a mente mas pronto tenho uma pachorra ilimitada... Nem sequer falei no casamento. Deus, a mim, livre!

No domingo o meu padrasto fez anos também e senti-me mais acolhida por ele que pelo meu próprio pai mas enfim. Falem lá de signos que eu tenho umas quantas a ripostar...

Tirando tudo isto que me enegreceu a alma este fim de semana no que toca ao lado paterno, tenho a dizer que o meu chefe o "Dr. Where's Wally?" resolveu renovar-me o contrato pelo que tenho trabalho garantido por mais 6 meses. Bom 8... Porque ainda faltam 2 para acabar este primeiro contrato. Fiquei radiante e posso respirar mais uns meses sem por a cabeça a matutar no desemprego.

Hoje não estou nos meus dias... E como tal vou deixar as parvoíces para amanhã...

Vou aventar este cu sebento para a banheira...



Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D