Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Agora sou esposa, mãe, completa! Mas continuo minha... Sempre!


12
Mai08

A minha Rosa... Negra...

por Pobre(o)Tanas

 


 


 


 Quando era mais menina, sentada no chão, brincava com as minhas bonecas e bonecos, e imaginava casamentos e relações de cortar a respiração entre eles. Lembro-me que havia sempre uma vilã e um vilão prontos a acabar com a felicidade dos recém casados mas que acabavam por desisitir. Se eu estivesse bem disposta os vilões tornavam-se bonzinhos e até se casavam entre si, se estivesse chateada, tinham uma morte um tanto ou quanto violenta que acabava sempre no tanque de lavar roupa da minha avó, habitado por criaturas nada simpáticas - normalmente uma tartaruga ou um peixe do nosso lago que eu punha dentro do tanque de água limpida.


 


 Nem sei onde pararam as minhas bonecas, os peixes já morreram e o tanque continua a servir para lavar roupa que não a minha.


 


 Cresci. As bonecas foram trocadas por livros, CD's e telemóveis. As relações, comecei eu a fazer parte delas, como um escritor que vive a história do seu livro.


 


 Hoje, ao fim de uns poucos de anos, olho para mim e para a minha ingenuidade, tão própria de menina que não sabe o que a vida reserva e pensa que tudo não passa de um mar de rosas. Mas as rosas têm espinhos e neste tempo em que nado nele, fui cravada por eles, vezes sem conta.


 


 Quando estou cansada, sento-me na margem e retiro os espinhos do meu corpo, lambo as feridas, qual animal sobrevivente, e entro devagarinho no mar, a medo, para não ser picada mal eu recomece a minha saga.


 


 Tive espinhos retirados com facilidade, tive outros em que gritei para os arrancar e outros que se entranharam dentro da minha pele de forma tão profunda que ninguém os conseguirá remover.


 


 Vivo na esperança de voltar a encontrar a minha felicidade de menina. Aquela certeza de querer viver numa casa com o meu marido e rodeada de filhos. Casa cheia como costumo dizer. Os amigos, os cães e os gatos, o periquito e a sogra. Todos benvindos.


 


 No entanto algo me diz que nunca será assim...


 


 Ontem, num ataque de choro, disse à minha mãe que me sentia uma pessoa suja. Disse-lhe que achava que não era merecedora de ninguém. Achava que eu não tinha o direito de ser feliz por erros cometidos no passado, que a meu ver foram enormes e na visão dos outros foram coisas que até passariam despercebidas. No entanto o que conta é a minha consciência e essa não descansa. Já lá vai o tempo em que me deitava na almofada sem pesos.


 


 Às vezes não me sinto bem, sinto que não sou digna das oportunidades que a vida me dá e que as deixo escapar com medo de sofrer outra vez. Não vivo com o coração, vivo com a minha cabeça.


 


 Esta comanda tudo. O meu coração quer dizer coisas que mostrem aquilo que sinto, mas a minha cabeça não o deixa. Constantemente é mandado calar. Depois faço coisas que não deveria fazer, tomo posições e atitudes de pessoa pobre de espirito. Querer e não poder, porque a consciência diz que não mereço. Que sou uma merda, que deveria estar pior porque é esse o meu castigo.


 


 E assim me deixo ir, apesar de tocar a vida e saboreá-la, no entanto não da forma intensa que deveria ser. Da forma que deveria uma rapariga da minha idade sentir e viver. Porque a sociedade condena os que se apaixonam, porque o amor e as relações, neste mundo em que vivo e no qual não pertenço, não tem carinho por ninguém.


 


 As relações, na minha idade, baseiam-se em sexo desenfreado, em promessas que não o são e em palavras que nem o vento as leva. Porque ficam cá registadas de forma negativa...


 


 Oh Deus! Que venha alguém mudar esta minha culpa, que me mostre que a vida tem sentido e me erga nos seus braços de forma triunfante. Porque me conquistou. Porque é uma vitória fazê-lo. E depois, me trate como se fosse a rosa que do mar saiu...


 


 


 


 

Autoria e outros dados (tags, etc)


5 comentários

Sem imagem de perfil

De soflor a 14.05.2008 às 21:06

Concordo contigo... parece que já não existe amor nem relações mas como sou sonhadora, continuo a sonhar que um dia a vida me vai mostar que não estou errada em sonhar... não te deixes abater...luta pelas minorias... Renova-te e sorri, amanhã será um novo dia para viver e....
Sem imagem de perfil

De umcasoraro a 14.05.2008 às 22:32

Cara amiga,
Hoje vou-te escrever o comentário mais sincero e talvez mais duro que recebeste de alguém que só conheces no plano virtual, porque eu acredito que os amigos estão cá para nos dizer o que pensam e partilhar experiências de vida.
Pelas tuas palavras de hoje sinto que não vives, sobrevives...
Sei exactamente o que estás a sentir, utilizando uma expressão em Inglês: Been there, done that!!!
Acredita que tudo isso que sentes vai passar, não vai ser fácil, pelo contrário, vai ser difícil, tortuoso, doloroso. Vais-te sentir mais só do que sozinha, até podes ter muita gente á volta que nada te vai satisfazer, não te vais achar merecedora de todo o amor e amizade que te vão oferecer, vais cair, vais chorar, vais sentir raiva e dor, vais sentir que não consegues sair do buraco onde estás.
Mas acredita, no meio de toda essa solidão e vazio, no meio desse buraco negro em que te sentes presa vais-te conhecer, a ti, à pessoa que tu realmente és, vais recomeçar do zero, nunca esquecendo tudo o que está para trás, porque isso te vai fazer mais forte. Vais aprender a amar-te, a ti, sozinha, só ou de que maneira for, mas a ti...a Joana!!
Nesse dia (que eu acredito que vai ser em breve) vais estar realmente preparada para aceitar o amor dos outros, dar-lhe valor, senti-lo inteiramente, com todos os sentidos, cheiros e sabores, e vai ser uma sensação fantástica. Vais-te rir como nunca te ris-te, vai sair bem do fundo, vai ser uma gargalhada profunda, libertadora e vai ser tão bom que vais querer repetir e sentir-te assim o máximo de vezes possível. A tua cabeça e o teu coração vão estar em sintonia.
Podes não encontrar o amor da tua vida à primeira nem à segunda, mas vais saber aceitar o bom e o mau dessas relações sem culpa, porque as coisas nem sempre resultam, mas têm sempre algo de bom.
Porque sabes: "O Amor Acontece"!!!
Enquanto isso não acontece, podes contar comigo para o que precisares.
Beijos da outra Joana
Sem imagem de perfil

De Joanina a 17.05.2008 às 04:29

Ontem li o teu post e tinha intenções de o comentar, mas não tive tempo. Achei que estava belissimamente escrito, mas imensamente triste e derrotista! Hoje vim aqui com a ideia de o comentar, e leio o lindo comentário que te deixou a outra Joana! Acho que ela disse tudo... De Joana para Joana foi tudo dito... E a Joanina subscreve!!! Bjs para as Joanas, da Jo
Sem imagem de perfil

De Pobre(o)Tanas a 17.05.2008 às 21:23

As tuas palavras,amiga Joana,resultaram num novo post no dia seguinte... Este da rosa negra foi mesmo retirado das entranhas...Estava mesmo em baixo de forma...Mas subi outra vez e resolvi lutar e mostrar me mesmo ao mundo...Se nao me mostrar aqueles que acho que possam merecer, nunca verao o meu sorriso por mais dentes tortos que tenha loool assim sendo deixo que me mirem e se envolvam na minha essencia...:P

Vou dar uma passadinha no teu blog e ver como estás...Te ja:)

Beijo!
Sem imagem de perfil

De Pobre(o)Tanas a 17.05.2008 às 21:30

Que a tua espera resulte num amor e paixao que te elevem a alma e que sejas a pessoa mais feliz:)

Obrigada:) Beijinho

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D