Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Agora sou esposa, mãe, completa! Mas continuo minha... Sempre!


 


 


  A vida dá voltas e voltas... A vida não é aquilo que muitas vezes desejamos e
muitas vezes tem surpresas que nem esperaríamos que nos acontecessem...
Crescemos e ás vezes nem nos apercebemos do que se passa à nossa volta, andamos
revoltados e sequiosos por uma estabilidade emocional. Por vezes nem sabemos a
que planeta pertencemos e achamos que tudo o que nos possam fazer nessas
alturas é negativo nas nossas vidas. Mas isso... são águas passadas e essas não
movem o moínho da vida...

  Tenho-me perguntado muitas vezes se deveria fazer isto depois de tanto tempo.
Depois de tanto tempo e de nem sequer ter a certeza se és quem eu penso que
sejas. Se és aquele que um dia amei com todas as minhas forças por mais
neuróticas que fossem. Mas decidi fazê-lo independentemente se obtenho ou não
resposta. E porque faço eu isto, perguntarás tu... Porque apesar de tudo
preocupo-me com alguém que foi importante para mim. Porque tenho uma espécie de
vazio dentro de mim por não sentir as coisas resolvidas. Porque agora sim
sinto-me forte para perguntar "Como estás?". Não tenho rancores a não ser de
coisas que fiz sem ter noção das consequências, de preocupações descabidas que
te fui dando sem olhar para ti e questionar-me do mal que te poderia estar a
fazer. Verdadeiramente, já para o final, nem sei se alguma vez olhei bem para
ti com amor verdadeiro sem ser obsessivo... Não sei se não seria fruto da minha
dependencia pelas pessoas. Como não tinha ninguém estava com medo que te fosses
embora também. O que acabou por acontecer. E aí vi-me sozinha à mercê de quem
nunca amei e do mundo lá fora que me queria consumir à força.

  Vagueei de mochila às costas de casa em casa de amigos/as à procura de um
sítio para ficar mais uma noite, dormi encostada a postes da estação de metro
do Campo Grande depois de noites de excessos em Bairros Altos e outros que
tais... Tão altos quanto a minha cegueira e ódio por ti e por todos. Bebi,
fumei e snifei o que o diabo das ruas me dava para esquecer quem era e por fim,
após noites e noites sem saber quem seria, dei por mim em semi-coma
lutando para respirar mais uma vez, mais um dia, com gente que nem conhecia de
lado algum mas que se denominavam "amigos", meus "amigos". Mas eu não podia
acabar assim, EU não podia acabar onde tantas vezes te tinha colocado.

  Acabei com tudo e todos os que podiam fazer-me mal e saí porta fora rumo a uma
nova vida, sem medo, sem saber o que o amanhã me reservava e venci. Perdi
"amigos", perdi "familiares" mas venci. Hoje olho para mim e não há nada nem
ninguém que me diga o que posso ou não fazer. Que sou isto ou aquilo. Que não
presto enquanto pessoa. Porque? Porque lutei por mim e se isso não é de valor
não sei o que será. Mas sou eu. Saí com uma mochila mas saí com dignidade. Hoje
o que tenho fui eu que o consegui e é meu, só meu...

  Tenho um mundo lá fora à minha espera, quero-o viver e respirar como nunca o
fiz, porque amo a minha vida porque a consegui recuperar... Sempre mo disseste
para eu o fazer, para recuperar e olhar para mim e hoje sei o que querias dizer
com aquela musica do Royalistik "Como uma estrela que só brilha quando quer,
promete estrela vais sorrir se eu não estiver..."... E eu brilho, sozinha mas
brilho. Sou a minha estrela, e no meio de tantas consegui brilhar apesar da
escuridão da noite, da escuridão do mundo lá fora...

  Não penso obter resposta a este mail. Quero apenas agradecer-te por teres sido
um marco na minha vida. O homem que sempre amei e que me marcou como mais
ninguém. Foste meu namorado, amigo, companheiro, irmão e muitas vezes pai e
mãe. Bebeste as minhas lágrimas ao cair da noite quando eu não queria mais
viver e lutaste pela minha felicidade, ao acabarmos, conseguiste lançar-me ao
mundo e aquilo que conheço dele, hoje, devo-o a ti.

  Espero que estejas bem e que alcances todos os teus sonhos. Eu precisava de
mandar-te este mail para quebrar, para matar este morto-vivo que aqui tinha
dentro. Hoje foi esse dia e com tudo isto apenas te digo que "és aquele" venha
quem vier. Não quero que penses em segundas intenções porque a minha vida agora
é diferente, é MINHA e não abdicarei dela... Apenas não sei onde estarei amanhã
de manhã. Se aqui se noutro sítio deste mundo em que vivo. Porque a minha vida
agora é de mochila às costas... E eu gosto dela...

  De alguém que te quer bem

  Beijinhos

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

Sem imagem de perfil

De umcasoraro a 10.04.2008 às 14:26

Estou a ver que hoje é um daqueles dias de limpar o sotão!!!!
Mesmo que não obtenhas resposta, não importa, o primeiro passo está dado, pensar nas coisas que fizemos, ver o que somos agora o quanto mudamos e porquê mudamos, para podermos olhar em frente sem nunca esquecer o nosso passado.
Eu sou da opinião que uma pessoa sem passado é uma pessoa sem futuro, porque só aproveitando tudo aquilo que o nosso passado nos trouxe, de bom e de mau nos faz caminhar para um futuro mais equilibrado e acima de tudo mais preparados para todas as voltas e reviravoltas que ele nos reserva.
Beijinhos
Ju
Sem imagem de perfil

De Zita a 10.04.2008 às 14:30

Olá,
Este blog vale mesmo a pena ler, gosto bastante. Embora nao tenha comentado anteriormente venho ler todos os dias.
Este texto está bem "alinhado" vai de encontro aquilo que muitas vezes se sente e nao se consegue expressar. Parabéns
Sem imagem de perfil

De Pobre(o)Tanas a 10.04.2008 às 14:37



Obrigada, querida Zita. Este texto foi mesmo enviado para a pessoa em questão. Agradeço-lhe imenso os post e as suas visitas. Peço desculpa se por acaso não responder a todos. Mas tento sempre ter um bocadinho:)

Obrigada mais uma vez!
Sem imagem de perfil

De samueldabo a 11.04.2008 às 10:36

Os olhos toldam-me de emoção. É um texto forte, de dentro, quebra gelo.
Não há insensibilidade que resista.
Um beijinho de amigo

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D