Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Agora sou esposa, mãe, completa! Mas continuo minha... Sempre!


29
Jan11
A semana foi calmíssima no que toca a chatices no trabalho, no entanto houve imenso que fazer pelo que quando chegava a casa só me apetecia tomar um banho quente e ficar quieta com os pés enfiados no aquecedor até serem horas de ir dormir tipo velhota à lareira. Apenas não tenho jeito para crochet se não até isso fazia...

O outro problema já foi remediado e vamos a ver se não se toca mais no assunto, que tudo seja pago e mais cartas não voltem a aparecer. Ponderava até ser eu a pagar a conta mas o meu Jacinto soltou um "Tu és maz'é parva! Deixa-te de te preocupares com essas coisas que não são problemas teus..."

O meu Jacinto foi promovido e aumentado! Isto vai dar-nos ainda mais folga e o ideal seria que os 6 meses que tenho de contrato passassem a anos para que a nossa vida estabilizasse ainda mais.

Todos os anos pomos um limite até as coisas melhorarem por elas mesmas, se não fazemos nós por isso. O ano passado demos até Maio para que a vida desse uma volta a níveis profissionais e o que é certo é que resultou essa ideia.

Ele veio para o Alentejo para a empresa onde está e eu despedi-me e vim para baixo com ele. Em Agosto arranjámos a nossa casinha definitiva e eu em Outubro consegui este trabalho - apesar de ter trabalhado em Setembro na campanha do pimentão para arranjar mais uns trocos - que nos deu mais equilibrio monetário.

Agora pensámos que em Maio novamente se já não precisassem mais dos meus serviços na empresa quando a moça que está de baixa voltasse, e o Jacinto não tivesse aspectos mais positivos no trabalho, voltávamos a avançar para outra coisa, mas estamos a ver que tal não será necessário pois ele está efectivo, foi aumentado e eu arranjarei outra coisa se não me quiserem mais.

Estipulámos ainda o mês de Outubro ou Novembro deste ano para comprar um carro novo sendo que será o nosso único crédito e queremos ver se fazemos ainda mais dinheiro para não termos que andar a pagar o carro tanto tempo dando logo uma boa entrada.

Em Maio de 2012, já falámos e ponderamos casar finalmente. Caso veja que se torna dispendioso um casamento todo muito cheio de cerimónia e pompa, acho que o faço nem que seja no registo numa manhã qualquer sem gente alguma a atrapalhar. Porque isto ou é 8 ou 80. E sinceramente não penso pagar um balúrdio num casamento com imensa gente - sim que isto nas aldeias vão todos os que podem ir - e ficar a arder. Tenho de ver a questão muito bem e falar com quem se casou há pouco tempo para ver quanto isto nos fica. Não quero cá grandes tretas e quero ir bonita mas o mais simples possível. Se for no registo vou de calças de ganga e um blazer branco e está a andar. Pago o que tenho a pagar e acho que agora nem padrinhos nem testemunhas são necessários.

Agora só falta o pedido oficial. Sim porque o meu Jacinto não pense que é só dizer que vamos casar e não há direito a pedido formal com um aneluco ranhoso no dedo! Uma coisa simples sem lágrima no olho e um histérico "Ai aceito!!!". Nah! É mais "Pah, toma lá o anel..." e já está, depois pergunto-lhe o que quer jantar enquanto calço as pantufas e cada um faz a sua vidinha de sempre.

Não sou romântica e merdelins desses fazem-me comixão. Sou chorona mas nada romântica. Talvêz já o tenha sido mas a idade traz sabedoria e equilibrio emocional. Daí que um casamento cheio de borboletas, coisas glicodoces e coisas dessas com ele a levar-me ao colo para a suite não me cabe na cabeça. Eu sei andar desde os 8/9 meses e só se os joelhos não puderem.

Faz-me espécie as pessoas até para fazerem um filho acendem velinhas, há banho quente com sais e uma série de rezas antes do acto. Quando fizer um filho será como sempre. Vamos pinar e se der faz-se ali umas acrobacias para o miúdo ser uma pessoa com uma certa elasticidade que poderá dar jeito caso ele vá para artista de circo ou atleta olimpico. Se quisermos um bombeiro é só atear fogo à cama com o esfreganço. Se nos apetecer que seja polícia é usar algemas e se fumarmos umas coisas antes assim para o maradas ele acaba por ser um sonhador egocêntrico.

Não quero um puto loiro de olhos azuis, quero sim que saia com a inteligência, paciência e a penca batatuda do pai e da mãe pode apanhar a farta cabeleira, a carrada de dentes e a vontade de esganar o mundo arrogante em que vivemos quando o dia não lhe corre de feição. Um puto moreno, de olhos grandes castanhos, de porte médio/alto e mãos de pianista para agarrar bem os fartos seios das miúdas quando tiver idade para o fazer. Sim que o meu filho se não for gay será um tolinho pelo sexo oposto, contudo educá-lo-ei para o respeitar e ser um gentleman, bem como ser aquilo que quiser ser sem pensar no que os outros possam dizer. Ter em conta a felicidade dele sem ultrapassar limites ou magoar terceiros.

Se for menina, ui... Se for menina... Sei lá! Educo-a para não ser mimada e não terei stresses se ela for uma maria-rapaz na idade em que algumas de nós o fomos, de joelhos esfolados e cabelo desgrenhado. Quero que saiba que há diferenças entre os sexos sem contudo se fazer superior ou deixar-se inferiorizar. Ser igual com as diferenças físicas e emocionais que existem e saber lidar com elas de forma nobre. Chegar à idade de querer conhecer alguém melhor e eu poder aconselhá-la. Saber que está com quem a faz feliz e que ela própria possa ser o que entender, sendo que o céu é o limite. Não gosto de meninas betinhas. Quero criar uma filha sabendo que ela poderá moldar-se conforme o ambiente tal como os pais. Tanto sabem usar os talheres correctamente como abrir um pão com as mãos e espalhar nele manteiga com os dedos.

No fundo quero sim moldar um filho conforme os nossos feitios, pois existe aí muito bom pai que tende a moldar crianças conforme aquilo que eles próprios gostariam de ser ou ter e eu não... Tenho perfeita noção que seremos belos exemplos para os nossos filhos. Poderei um dia morder a língua mas sei de antemão que a pessoa que está ao meu lado terá pulso firme no que tocará aos filhos, deixá-los-á serem eles próprios mas de forma regrada. E eu não tenho problema nenhum em afirmar que uma palmada na hora certa faz milagres. Sei disso muito bem pois levei algumas e hoje sem elas poderia ter-me rendido totalmente ao doce sabor do deixa-te ir conforme a maré e não apenas do aventa pr'aí bem mais saudável que não importuna ninguém...


Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D